quinta-feira, 22 de junho de 2017

Sibutramina e medicamentos para emagrecer: entenda

Os anorexígenos são utilizados como coadjuvantes no tratamento de quadros de obesidade e, como qualquer medicamento, seu uso, com a indicação de reduzir o apetite, deve ser orientado por um médico. No caso dos inibidores de apetite, isso é ainda mais importante já que interferem em sistemas importantes do corpo humano.

Qual é a situação da sibutramina e de outros medicamento emagrecedores no Brasil e no mundo? Nos parágrafos abaixo esclarecemos quais são as regras para a venda desse tipo de medicamento, quais são os produtos autorizados, e os riscos relacionados a seu uso.

A obesidade é uma doença provocada por vários fatores como hábitos de vida, genética, condições econômicas, contexto cultural, entre outros. Por isso, a orientação dos profissionais é ainda mais importante para que o uso de medicamentos não se torne apenas um paliativo e gere o efeito “sanfona”, que é quando o paciente engorda e emagrece muito ao longo da vida.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Nova resolução em análise pela Anvisa deve liberar aplicação de vacinas em farmácias

Uma nova resolução que trata dos requisitos mínimos para serviços de vacinação no país está em fase de análise pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e, caso seja aprovada, permitirá que farmácias apliquem vacinas. 

Atualmente, somente clínicas de vacinação, que têm um médico como responsável técnico, estão autorizadas a oferecer o serviço fora do sistema público de saúde.

Entidades que representam os farmacêuticos defendem que a medida ampliará o acesso da população às vacinas. Já entidades médicas expressam temor de que a nova resolução possa reduzir as exigências atualmente aplicadas aos serviços de vacinação, o que acarretaria risco para a população.

A proposta já passou por uma consulta pública, em maio, e agora está na última etapa do processo de regulamentação antes da decisão final. O texto submetido à consulta não menciona as farmácias especificamente, mas abre essa possibilidade ao não limitar o serviço de aplicação de vacinas às clínicas. A regra estabelece como deve ser a estrutura física do estabelecimento que aplicará a vacina e determina que as vacinas que não estão contempladas pelo Programa Nacional de Vacinação do SUS somente poderão ser aplicadas mediante prescrição médica.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Câncer de mama triplo negativo com metástases: novos avanços

Um fármaco usado na imunoterapia revelou-se promissor no tratamento do cancro da mama triplo negativo com metástases, indicou um novo estudo.

O estudo conduzido por uma equipe de investigadores do Centro Médico Langone, da Faculdade de Medicina da Universidade de Nova Iorque, EUA, apurou que o fármaco pembrolizumab, já aprovado para o tratamento de outros tipos de cancro, revelou-se eficaz naquele tipo de cancro da mama.

Para o estudo, a equipe efetuou ensaios clínicos sobre dois grupos de mulheres: um grupo A, de 170 pacientes com cancro da mama triplo negativo com metástases que tinha recebido pré-tratamento abundante, independentemente da expressão de ligando de morte celular programada 1 (PD-L1), e um outro grupo, B, com 52 pacientes com tumores com expressão de PDL-1, que receberam o fármaco pembrolizumab como primeira linha de tratamento. 

Amamentação pode proteger contra dor crônica após cesariana

É já de conhecimento comum que a amamentação é extremamente benéfica para o bebê. No entanto, a amamentação demonstrou ser também benéfica para a mãe, após um parto por cesariana.

Uma equipe de investigadores efetuou um estudo que apurou que as mães que amamentaram os seus bebês pelo período de pelo menos dois meses, após terem sido submetidas a uma cesariana tinham menos propensão a sofrerem de dor crônica em comparação com as mães que o fizeram durante menos de dois meses.

O estudo, liderado por Carmen Alicia Vargas Berenjeno, do Hospital Universitário de Nuestra Señora de Valme, em Sevilha, Espanha, contou com a participação de 185 mães que tinham sido submetidas a uma cesariana naquele hospital entre janeiro de 2015 e dezembro de 2016.

Os investigadores entrevistaram as mães sobre padrões de amamentação e dor crônica no local da intervenção cirúrgica, 24 horas, 72 horas e quatro meses após a cesariana. A equipa teve em consideração outros fatores que pudessem influenciar a dor crônica como a técnica cirúrgica utilizada, dores nas primeiras 24 a 72 horas, educação materna e ansiedade sentida ao amamentar. 

Canabinoides e quimioterapia juntos poderosos contra o cancro

Uma equipe de investigadores conduziu um estudo que confirmou a eficácia dos canabinóides na exterminação de células de leucemia.

O estudo efetuado pela Universidade de Londres St. George, Inglaterra, apurou igualmente que a combinação de químicos e a ordem pela qual esses são administrados, são também importantes para os resultados do tratamento do cancro. 

Os canabinóides têm sido alvo de atenção devido aos seus possíveis efeitos anticancerígenos. Até à data foram identificados mais de 100 canabinóides, todos eles com diferentes perfis químicos e propriedades.

Foi demonstrado em estudos anteriores sobre modelos de animais que alguns canabinóides têm um efeito de inibição dos tumores, pois promovem a morte celular e bloqueiam o desenvolvimento dos vasos sanguíneos que servem o tumor.

Outros estudos evidenciaram que alguns canabinóides têm a capacidade de exterminar células de leucemia, e que quando combinados com outros químicos se tornam mais potentes no combate às células cancerígenas.