sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Imunidade adquirida pelo vírus da dengue pode proteger contra o da zika

A imunidade adquirida por uma infecção pelo vírus da dengue pode proteger contra o vírus da Zika. 

Em síntese esta foi a conclusão de um estudo realizado pelo Instituto de Arboviroses da Universidade de Wenzhow na China, em parceria com outras instituições. Além disso, a pesquisa não encontrou evidências de interações entre as duas doenças. As conclusões do estudo foram publicadas pela revista Nature Communications.

O estudo utilizou camundongos como cobaias e observou que os animais que tiveram dengue desenvolveram a chamada proteção cruzada - termo utilizado para referir-se à transferência de microrganismos. Além disso foram observadas a presença de linfócitos - T CD8 - células de defesa que se formaram após a combinação dos vírus da dengue e da zika.

EUA aprovam a primeira pílula eletrônica

Um sensor inserido na pílula emite um sinal que permite determinar a hora e a data em que ela foi ingerida, informou a  Administração de Medicamentos e Alimentos (FDA) em um comunicado.

Este sistema de rastreamento foi autorizado para um tratamento contra a esquizofrenia, manias agudas e trastorno bipolar.

Trata-se do aripiprazol, comercializado sob o nome de Abilify desde 2002. A versão eletrônica se chama Abilify MyCite. 

Uma vez ingerida a pílula, seu sensor, composto de cobre e silício, emite um sinal elétrico ao entrar em contato com os líquidos do estômago.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Hipersonia: quando dormir não tira o sono

Por mais que passem o dia todo dormindo, algumas pessoas simplesmente continuam com sono. Elas se sentem cansadas toda hora e não conseguem ficar "acordadas" durante o dia sem ficar bocejando e lutando contra a exaustão.

Pessoas assim lutam contra um distúrbio raro chamado hipersonia.

"Na maioria dos casos, elas não têm dificuldade alguma para dormir. Mas o fato de dormirem não é algo que acaba com o cansaço. Elas têm problemas para se levantar e se sentem confusas e irritadas", afirmaram os pesquisadores da Associação Espanhola de Narcolepsia e Hipersonia (AEN).

Alguns dos efeitos, segundo a associação, são: fadiga, cansaço, perda de concentração e problemas de movimento.

Como bafômetro pode revolucionar diagnóstico de uma das doenças que mais matam crianças no mundo

Cientistas estão testando o uso de um bafômetro para diagnosticar a malária, doença potencialmente fatal causada por parasitas transmitidos pelo mosquito Anopheles.

Pessoas com malária produzem "traços respiratórios" distintos, que poderiam ser identificados pelo novo método. Um protótipo do bafômetro já está sendo usado na África.

Um desses odores expelidos por pessoas infectadas é idêntico a um cheiro natural que atrai os vetores da malária. Pinheiros e coníferas exalam terpenos, substâncias que chamam mosquitos e outros insetos polinizadores, dizem pesquisadores da Universidade Washington em St. Louis (EUA).

Maconha medicinal reduz náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia e diminui convulsões em crianças

A maconha medicinal pode conter uma promessa no tratamento de náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia (NVIQ) e de convulsões em crianças e adolescentes, sugere uma nova revisão sistemática e meta-análise publicada na edição de novembro do periódico Pediatrics.

"A evidência de benefício da maconha medicinal foi mais forte para náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia, com evidências crescentes de benefício para a epilepsia", escrevem o Dr. Shane Shucheng Wong e o Dr. Timothy E. Wilens, ambos do Massachusetts General Hospital, em Boston. No entanto, "neste momento, não há evidências suficientes que embasem o uso para espasticidade, dor neuropática, transtorno de estresse pós-traumático e síndrome de Tourette".

Dois canabinoides sintéticos, dronabinol e nabilona, foram aprovados pela US Food and Drug Administration (FDA) para uso clínico nos Estados Unidos.