segunda-feira, 18 de junho de 2018

Combinações de medicamentos perigosas e letais

Interações Medicamentosas

Na era da polifarmácia, não é incomum que pacientes com doenças crônicas estejam em uso de meia dúzia de medicamentos diferentes. As interações medicamentosas aumentaram porque estamos usando mais medicamentos, e mais combinações de drogas, do que nunca. As interações medicamentosas podem prejudicar a efetividade de uma ou mais drogas, ou resultar em outros eventos adversos.

Interações medicamentosas são consideradas erros evitáveis. Com o advento da prescrição eletrônica, a esperança era de que o software alertaria os prescritores sobre as interações entre uma ou mais drogas que o paciente está usando, e esses alertas são comuns. Na verdade, eles são tão ubíquos que geralmente são ignorados durante o processo de prescrição. Além disso, os médicos não podem confiar somente no software de prescrição para evitar todas as interações medicamentosas.

O Dr. Douglas S. Paauw, professor de medicina na University of Washington School of Medicine, em Seattle, traz exemplos de interações medicamentosas comuns e métodos de prevenção. Os exemplos a seguir não estão classificados em nenhuma ordem de frequência ou significado clínico.

Anvisa aprova três novos medicamentos biológicos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) registrou mais três medicamentos biológicos novos para comercialização no mercado nacional. O primeiro é o Bavencio (avelumabe), produto para tratamento de doença rara, aprovado para o uso em monoterapia (utilização de um só medicamento) em pacientes adultos com carcinoma (tumor) de células metastáticas Merkel (MCC), tipo incomum de câncer que exibe características clínicas agressivas.

O segundo foi o Duavive, indicado para tratamento de sinais e sintomas associados à queda de estrogênio (hormônio feminino), fato que causa desconfortos à mulher, tais como ondas de calor. Esse produto foi aprovado para o tratamento de sintomas vasomotores (nervos responsáveis pela contração e pelo relaxamento de vasos sanguíneos) classificados como moderados a graves e associados à menopausa.

O Duavive é uma combinação inovadora de hormônios estrogênios conjugados e de acetado de bazedoxifeno. Este último atua inibindo os efeitos negativos associados ao uso isolado do hormônio feminino. Pode ser utilizado após a ocorrência da menopausa em mulheres que ainda tenham útero e com registro da última menstruação natural há mais de 12 meses.
O terceiro produto aprovado foi o medicamento Fasenra (benralizumabe), indicado como tratamento adjuvante (reforço) de manutenção para asma grave com fenótipo eosinofílico em pacientes adultos.

Os novos registros foram publicados pela Anvisa no Diário Oficial da União (DOU) do dia 4 de junho 2018.

Com informações da Anvisa

Bacteriófagos poderão ser a alternativa aos antibióticos

Um estudo recente demonstrou que os bacteriófagos poderão ser uns promissores substitutos dos antibióticos na gestão das bactérias prejudiciais gastrointestinais. 

Os bacteriófagos são vírus que não infectam os humanos e naturais inimigos das bactérias, podendo atuar sobre bactérias específicas. Foi ainda observado que estes vírus promovem o desenvolvimento de bactérias benéficas que melhoram a saúde gastrointestinal, a função imunitária e os processos anti-inflamatórios.

Conduzido por Taylor C. Wallace da Universidade George Mason, e Tiffany Weir, da Universidade do Estado do Colorado, ambas nos EUA, o estudo foi dos primeiros a conduzirem ensaios clínicos sobre vírus que exterminam bactérias nocivas gastrointestinais. 

Demência pode ser causada por hipertensão

Um novo estudo demonstrou que os pacientes com hipertensão arterial apresentam um risco mais elevado de desenvolverem demência.

O achado que foi efetuado na sequência de um estudo conduzido pelo Instituto Neurológico Mediterrânico IRCCS Neuromed, Itália, revelou ainda, pela primeira vez, que a ressonância magnética pode ser usada na detecção muito precoce de danos neurológicos em pacientes com hipertensão antes da ocorrência de qualquer sintoma. 

A hipertensão causa danos nos órgãos de forma progressiva. A grande maioria dos casos de Alzheimer e demência associada não é devida a predisposição genética, mas sim à exposição crônica a fatores de risco vasculares.

Os investigadores que conduziram este estudo recrutaram indivíduos com 40 a 65 anos de idade que não exibiam sinais de danos estruturais ou diagnóstico de demência. 

Sons dos intestinos podem indicar síndrome do intestino irritável

Uma equipe de investigadores desenvolveu um cinto acústico que permite escutar os sons produzidos pelos intestinos, podendo ajudar os médicos a diagnosticarem a síndrome do intestino irritável (SII) de forma mais fácil.

Calcula-se que a SII afete entre 10 a 20% da população dos países desenvolvidos. Os sintomas da doença incluem obstipação, diarreia, sensação de gás, inchaço abdominal e dor. Não se sabe as causas da SII, que passa muitas vezes sem ser diagnosticada pois os métodos usados não proporcionam exatidão ou são invasivos (colonoscopia).

A equipe de investigadores do Centro Marshall da Universidade da Austrália Ocidental, na cidade de Perth, usou a nova tecnologia, que tinha sido inicialmente desenvolvida para escutar os sons de atividade das térmites, para procurarem detectar problemas no sistema gastrointestinal humano.