domingo, 17 de junho de 2012

Pradaxa, medicamento lançado há menos de um ano já é lider em prescrições

Na prevenção do AVC decorrente da fibrilação atrial.

São Paulo - No mercado brasileiro desde agosto de 2011, Pradaxa (dabigatrana) já é o anticoagulante oral mais prescrito pelos cardiologistas para a prevenção do AVC decorrente da fibrilação atrial (FA) – tipo mais comum de arritmia cardíaca -, de acordo com dados de março de 2012.
Quem sofre dessa anormalidade do ritmo cardíaco tem risco cinco vezes maior de ter um derrame. Isso acontece porque a fibrilação atrial provoca a formação de coágulos dentro do coração que podem chegar até o cérebro e entupir um vaso sanguíneo – ocasionando o AVC.
Primeiro de uma nova geração de anticoagulantes orais, Pradaxa (dabigatrana) foi aprovado pela Anvisa com base num estudo clínico com mais de 18 mil pacientes em todo o mundo e é o único medicamento desta classe com redução superior do AVC isquêmico em comparação a varfarina, terapia mais antiga disponível no mercado há mais de 50 anos. Pradaxa previne três de cada quatro derrames decorrentes da fibrilação atrial, em comparação ao placebo, e é mais seguro que a varfarina, com menores taxas daqueles sangramentos que podem levar à morte (inclusive as hemorragias intracranianas).
Além disso, Pradaxa proporciona mais comodidade para o paciente por ser de fácil utilização, sem interações com alimentos e baixo potencial de interação com medicamentos. Outro diferencial é que não há necessidade de exames de sangue frequentes para acompanhamento e ajuste de dose.
Comparação dos estudos clínicos: RE-LY (etexilato de dabigatrana) vs ROCKET – AF (rivaroxabana): 

AVC e a Fibrilação Atrial-A principal característica da fibrilação atrial é a irregularidade dos batimentos cardíacos. Esta arritmia acomete cerca de 1,5 milhão de brasileiros e pode apresentar sintomas como palpitação, tontura, falta de ar e dor no peito. No entanto, muitas vezes, é uma doença assintomática.
A fibrilação atrial é a arritmia mais comum da prática clínica, tornando-se mais frequente a partir dos 50 anos. Desta idade em diante, a incidência dobra a cada 10 anos e, por conta disso, a ocorrência de AVC também é maior.
A Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais empresas farmacêuticas e a maior farmacêutica de capital fechado do mundo. Há 126 anos, a empresa familiar mantém o compromisso com pesquisa, desenvolvimento, fabricação e comercialização de novos produtos de alto valor terapêutico para a medicina humana e animal. Em 2010, a companhia registrou vendas líquidas de 12,6 bilhões de euros e investiu 24% deste valor em P&D.
A responsabilidade social é um componente importante da cultura empresarial da Boehringer, o que inclui tanto o compromisso global com projetos sociais como a preocupação com os seus mais de 44 mil funcionários em 145 afiliadas em todo o mundo.
Há 56 anos no País, a empresa estabelece parcerias com instituições brasileiras que promovem o desenvolvimento educacional, social profissional da população, e mantém ainda o programa Ajudar é o Melhor Remédio, uma plataforma colaborativa online de estímulo ao voluntariado que aproxima quem quer ajudar de quem precisa ser ajudado.
[ www.boehringer-ingelheim.com e www.ajudareomelhorremedio.com.br].

Fonte: Portal Revista Fator Brasil 

Nenhum comentário:

Postar um comentário