quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Lentes de contato especiais poderão curar miopia


Lente de contato que cura miopia

A miopia começa na infância, e geralmente progride com a idade.
Óculos e lentes de contato podem corrigir o desfoque da visão, mas não curam a miopia, e nem reduzem as taxas de progressão do problema conforme as crianças crescem.
Por enquanto.
Experimentos de laboratório, feitos pelo Dr. David Troilo e seus colegas da Universidade do Estado de Nova Iorque (EUA) demonstram que pode haver uma cura para a miopia.
Isso poderá ser feito usando lentes de contato especiais que induzem o olho a crescer de uma forma que pode corrigir a visão míope ou reduzir a progressão da miopia.

Hipermetropia e a realimentação da miopia

A miopia se desenvolve quando o olho fica demasiadamente longo, o que torna difícil focar sobre a retina a luz vinda de objetos distantes.
Óculos ou lentes de contato que corrigem a desfocalização no eixo visual principal podem ter efeitos secundários desagradáveis, como a criação de um pequeno grau de hipermetropia na retina periférica.
A hipermetropia periférica, por sua vez, pode piorar a miopia porque, conforme as crianças crescem, o olho cresce para levar a retina para onde a luz está focada, alongando o olho ainda mais.

Remodelando o olho

Troilo descobriu que lentes de contato especialmente projetadas para alterar a forma como a luz é focalizada na retina periférica podem induzir alterações no crescimento dos olhos que ajudam a remodelar o olho da forma desejada.
As lentes experimentais usam diferentes capacidades de focalização dentro de uma única lente, ou alternando a capacidade focal através da lente, ou confinando-a à borda externa.
Experimentos de laboratório com as novas lentes, feitos em animais, mostraram que elas mudaram o crescimento dos olhos e o estado refrativo, ou foco, de uma forma previsível.
As lentes de contato especiais reduziram o alongamento do olho que provoca a progressão da miopia.
Segundo o Dr. Troilo, vários desenhos de lentes de contato poderão em breve estar disponíveis para ajudar os médicos a gerenciar a progressão da miopia em crianças.

Por: Angela Stark