sábado, 29 de dezembro de 2012

Medicamentos Biológicos podem evitar a morte prematura de Pacientes com Artrite Reumatoide


De acordo com pesquisa – Biologics and Mortality Risk in Rheumatoid Arthritis: Results of a Population Based Study – apresentada na reunião anual do Colégio Americano de Reumatologia, evento que reuniu em Washington (EUA) especialistas em reumatismo de todo o mundo, o tratamento com medicamentos biológicos pode reduzir o risco de morte prematura em pacientes com artrite reumatoide.
A artrite reumatoide é uma doença crônica que provoca rigidez, dor, inchaço, limitação de movimentos e a perda da função de múltiplas articulações. “Embora as articulações sejam as principais áreas afetadas pela artrite reumatoide, a inflamação pode desenvolver-se em outros órgãos. Doentes com artrite reumatoide têm uma taxa de mortalidade elevada. No Brasil, estima-se que a doença atinja 1% da população. Como falamos de aproximadamente 1,9 milhão de brasileiros doentes, falamos de uma doença importante”, destaca o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti, que participou do evento.

Já sabemos que os agentes biológicos, como drogas antitumorais do fator de necrose (comumente chamados de anti-TNF), são prescritos para controlar a inflamação e prevenir lesões articulares causadas pela artrite reumatoide. Também são eficazes em reduzir a dor e melhorar a função física dos pacientes acometidos pela doença.

Agora, cientistas do Centro de Pesquisa de Artrite do Canadá, ligados à Universidade Britânica de Columbia, avaliaram se os benefícios da redução da inflamação sistêmica nos pacientes artríticos estão relacionados a um menor risco de morte prematura nesse grupo de pacientes. Para isso, revisaram dados de pacientes do Ministério da Saúde canadense.     
 
O estudo incluiu todos os casos notificados com artrite reumatoide que receberam tratamento entre janeiro de 1996 e março de 2006. Os casos foram acompanhados até março de 2010. Todos os serviços de saúde utilizados – incluindo medicamentos, internações e exames de laboratório a partir de janeiro de 1990 – foram avaliados.

Os pacientes que usaram um agente biológico durante o acompanhamento foram colocados num mesmo grupo. Cada paciente deste grupo foi então relacionado a um paciente de um grupo de controle que nunca havia utilizado um agente biológico, mas que havia sido tratado com pelo menos três tipos de drogas antirreumáticas, tais como o metotrexato, a leflunomida, a hidroxicloroquina  e a sulfassalazina.       

O estudo avaliou 4.312 participantes no total, dos quais 2.156 eram usuários de agentes biológicos e 2.156 não. A idade média dos participantes foi de 56 anos de idade, e 74,7% dos participantes eram do sexo feminino. Os pesquisadores observaram 573 mortes, dos quais 326 estavam no grupo de controle e 247 no grupo de usuários de medicamentos biológicos.

Os resultados do estudo revelaram que a exposição aos agentes biológicos foi associada com uma redução de 25% no risco de morte prematura em comparação com qualquer outra medicação utilizada para tratar a artrite reumatoide. “Saber que os agentes biológicos utilizados para tratar a artrite reumatoide podem reduzir o risco de morte prematura é muito significativo para as pessoas que vivem com a doença e seus médicos. Os resultados do estudo podem ajudar as pessoas a pesarem riscos e benefícios do uso destes medicamentos. Os pacientes devem conversar com seus reumatologistas para determinar o melhor curso de seu tratamento", diz o médico.

Fonte: Dikajob