sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Alimentos funcionais enriquecem dieta com nutrientes que previnem e controlam doenças


Você é o que você come, diz um ditado popular. E com razão. Os alimentos fornecem energia para o corpo, permitindo que as pessoas realizem atividades rotineiras. A alimentação adequada também produz saúde. Entre os alimentos ainda há o grupo dos funcionais, capazes de reduzir e conter o avanço de doenças crônicas degenerativas como as cardiovasculares e o câncer, além de estimular o sistema imunológico.
A nutricionista Loraine Ferraz, do Hospital Federal Cardoso Fontes, vinculado ao Ministério da Saúde, explica que os alimentos funcionais possuem efeitos metabólicos e bioquímicos que contribuem para um corpo saudável. “Estudos científicos comprovam a eficácia terapêuticas de alimentos funcionais. Eles são classificados em grupos tais como: probióticos e prebióticos, alimentos sulfurados e nitrogenados, pigmentos e vitaminas, compostos fenólicos, ácidos graxos poli-insaturados e fibras”, explica Loraine.
Os principais compostos funcionais pesquisados estão presentes na soja e seus derivados, nos peixes marinhos como salmão, atum e sardinha, nos óleos de linhaça e soja, nas amêndoas e nozes, no chá verde, nas frutas vermelhas como uvas, framboesas e cerejas, nos tomates, goiabas e melancias, nas folhas verdes e no milho, na couve-flor e nos brócolis, nos cereais integrais e grãos como o feijão, nos leites fermentados e iogurtes, dentre outros. Loraine afirma que os alimentos regionais brasileiros também possuem capacidade funcional. Ela cita o açaí, a jabuticaba, o camu-camu, o cupuaçu, a acerola, a pitanga e o pequi.
A nutricionista ensina que todos estes alimentos, para terem suas propriedades funcionais ativas, devem ser consumidos regularmente, em dietas balanceadas. “O consumo de alimentos funcionais pelo brasileiro ainda é pouco expressivo, apesar da vasta diversidade de alimentos considerados funcionais existentes em nosso país. Precisamos nos conscientizar da importância de uma alimentação saudável, de termos um prato colorido, bem balanceado. A educação nutricional é, portanto, de vital importância para a prevenção de doenças”, diz a nutricionista do Cardoso fontes.

Substância
Fontes alimentares
Benefícios
Ácidos graxos ômega-3
Peixes de águas frias com alto teor de gordura; óleos vegetais (linhaça).
Prevenção de doenças cardiovasculares e
prevenção e controle de doenças autoimunes e inflamatórias
Flavonóides
Uva, amora, framboesa, frutas cítricas, brócolis, etc.
Efeito antioxidante – ação sobre a formação de radicais livres e diminuição dos níveis de colesterol
Antocianinas
Frutas em geral (principalmente em
frutas vermelho escuras e roxas)
Prevenção de doenças cardiovasculares e câncer
Catequinas
Chá verde, chá preto
Atividade antioxidante e inibição da
formação de ateromas,
prevenção de certos tipos de câncer.
Resveratrol e quercetina
Casca de uva, vinho tinto
Redução do risco de doenças cardiovasculares; inibição da formação de carcinógenos, coágulos e inflamações
Isoflavonas
Soja, leguminosas, alcaçuz e ervilha
Alívio dos sintomas da menopausa.
redução do risco de doenças
cardiovasculares e osteoporose e a
redução do risco de câncer de mama
Proteínas da soja
Soja e derivados
Redução do risco de doenças
cardiovasculares
Betaglucana
Aveia e cevada
Controle da glicemia e do colesterol sérico
Isotiocianatos e indol
Brócolis, repolho, couve-flor, rabanete e folha de mostarda
Aumento da atividade de enzimas (tipo 2), prevenindo cânceres
Licopeno
Tomate, goiaba, melancia
Atividade antioxidante
redução do risco de doenças cardiovasculares.
proteção contra câncer, principalmente próstata
Luteína e zeaxantina
Folhas verdes (luteína)
pequi e milho (zeaxantina)
Proteção contra a degeneração macular manutenção de uma boa visão
Lignanas
Linhaça
Inibição de tumores hormônio dependentes
Sulfetos alílicos (alil sulfetos)
Alho e cebolas
Redução do risco de doenças cardiovasculares,
produção de enzimas protetoras contra o câncer gástrico
Fibras/prebióticos (fibras insolúveis e solúveis frutooligossacarödeos, inulina, etc.)
Grãos integrais, frutas e vegetais em geral
Melhora da saúde intestinal.
redução do risco de câncer do cólon e controle do colesterol
Probióticos (bifidobactérias e lactobacilos)
Leites fermentados, iogurtes, etc.
Melhora da saúde intestinal,
redução do risco de câncer do cólon e melhora da intolerância · lactose.





Fonte: Maria Vitória - Comunicação Interna do Ministério da Saúde