sábado, 5 de janeiro de 2013

Aprovado primeiro medicamento contra tuberculose multirresistente


Bedaquilina tem luz verde da agência norte-americana FDA - Food and Drug Administration
 A agência norte-americana para a segurança alimentar e o medicamento (Food and Drug Administration – FDA) aprovou no dia 28 de Dezembro um novo medicamento contra a tuberculose. Trata-se de bedaquilina e é o primeiro fármaco contra a tuberculose que tem como característica estar indicado expressamente para as formas mais resistentes desta doença infecciosa provocada pela bactéria Mycobacterium tuberculosis.

As mutações da bactéria são tão significativas que definem já um novo tipo de tuberculose, a tuberculose multi-resistente, em que microrganismo não responde aos fármacos habituais, a rifampicina e a isoniazida.

A única opção é testar combinações mais agressivas, tratamentos até dois anos com 20 comprimidos por dia, regime que é insustentável em muitos países. A Organização Mundial de Saúde (OMS) calcula que em 2011 houve 8,7 milhões de casos de tuberculose em todo o mundo e 1,4 milhões de mortes devido à doença. A OMS estima também que se verificam mais de 300 mil casos da variante resistente e apenas 20 por cento recebem tratamento.

A FDA aprovou o fármaco através de um procedimento rápido utilizado para reduzir o prazo de aprovação e que se baseia numa avaliação célere dos riscos do medicamento em relação aos potenciais benefícios. Este medicamento deve ser utilizado em combinação com outros e tem vários riscos, especialmente para o sistema cardiovascular.

Devido à gravidade da infecção, organizações como a Médicos Sem Fronteiras (MSF) receberam a notícia com alegria. “A bedaquilina é o primeiro fármaco ativo contra a tuberculose que a FDA aprova desde 1963”, refere aquela organização em comunicado. “É um grande avanço; o fato do medicamento ser eficaz contra as formas resistentes a outros fármacos pode alterar as regras do jogo”, considera Manica Balasegaram, o diretor da Access Campaign dos MSF.

Fonte: cienciahoje.pt