domingo, 13 de janeiro de 2013

Efeitos colaterais podem ser descobertos antes que medicamentos cheguem ao mercado


Efeitos contrários

Efeitos colaterais são a principal razão pela qual medicamentos são retirados do mercado e uma das principais razões pelas quais os pacientes precisam parar de tomar seus medicamentos e interromper seus tratamentos.
Nada menos do que um terço de todos os medicamentos aprovados são retirados do mercado nos primeiros dois anos após sua aprovação.
Yoshihiro Yamanishi e seus colegas da Universidade Kyushu (Japão) explicam que o problema está longe de ser meramente comercial.
Segundo a equipe, os efeitos colaterais de medicamentos são um grande problema de saúde, sendo a quarta principal causa de morte nos EUA - segundo algumas estimativas, 100.000 pessoas perdem a vida todos os anos devido aos efeitos colaterais dos medicamentos que tomam.

Detecção de efeitos colaterais

Os métodos atuais para avaliar a ocorrência de efeitos colaterais são caros e imprecisos. É por isso que os cientistas tentam desenvolver uma nova abordagem baseada em computador para prever os possíveis efeitos secundários das drogas.
A boa notícia é que os cientistas japoneses desenvolveram uma nova maneira de prever as reações adversas de um medicamento antes que ele possa ser colocado no mercado.
O relatório sobre o novo método, que pode salvar pacientes de efeitos colaterais graves e poupar tempo e dinheiro das empresas farmacêuticas e dos sistemas públicos de saúde, foi publicado no Journal of Chemical Information and Modeling, da Associação Americana de Química.

1,5 efeito colateral por medicamento

O novo método previu simultaneamente a ocorrência de 969 efeitos colaterais de 658 medicamentos que já se encontram em ampla utilização médica.
O método é baseado no conhecimento sobre informações químicas e biológicas acerca dos ingredientes que compõem esses medicamentos.
Os cientistas também usaram a técnica para identificar possíveis efeitos colaterais de várias moléculas ainda não caracterizadas como medicamentos, mas que estão sendo estudadas com essa intenção.
A equipe conclui que o novo método pode ser útil na descoberta de efeitos colaterais graves no início do desenvolvimento e teste de novas drogas, evitando investimentos dispendiosos em medicamentos impróprios para comercialização.

Fonte: Diário da Saúde