domingo, 13 de janeiro de 2013

Identificadas moléculas que protegem órgãos contra danos causados pela anestesia


Cientistas da University of Colorado School of Medicine, nos EUA, descobriram um grupo de moléculas que protege os órgãos contra danos causados pela anestesia.

A anestesia é bastante segura nos dias de hoje. Mas, às vezes colocar um paciente sob a sedação para corrigir um problema, como danos ao coração, pode prejudicar um órgão diferente, como um rim.

"Esta é uma descoberta promissora. Isso sugere uma nova maneira de promover a cura", afirma o líder da pesquisa Holger Eltzschig.

Em um artigo publicado no New England Journal of Medicine, Eltzschig e seus colegas relataram a descoberta de um grupo de moléculas chamadas purinas. Purinas são blocos de construção moleculares básicos do corpo, que ajudam a produzir ADN e RNA e ajudam, a curto prazo, no armazenamento de energia. Uma variedade de purina é chamada de adenosina.

Os investigadores determinaram que a geração de adenosina fora das células pode ajudar a proteger os órgãos contra danos. E eles notaram ainda que a ativação de receptores de adenosina sobre os pulmões, o intestino, ou o coração pode ajudar a proteger esses órgãos.
Eltzschig e seus colegas olharam para os processos químicos de adenosina e processos relacionados com o câncer, lesão pulmonar, inflamação intestinal e da função plaquetária, entre outros.

De acordo com os investigadores, para os pacientes que podem vir a passar por cirurgias com anestesia, os resultados são uma boa notícia. "Os desenvolvimentos crescentes nesta arena vão abrir vários novos caminhos para o tratamento", afirmam os investigadores.

Fonte RCM