sábado, 5 de janeiro de 2013

Maconha reduz sensação de dor, mas não em todos os pacientes


Maconha e dor

Uma série de estudos tem demonstrado a ação da maconha no alívio das dores em pacientes de diversas enfermidades.
Uma nova descoberta vem agora aumentar a compreensão dos cientistas sobre como a droga psicoativa pode ter seus efeitos sobre o cérebro.
Para Michael Lee e sua equipe da Universidade de Oxford, a maconha parece não exatamente suprimir a dor, mas torná-la mais tolerável para o indivíduo.

Aspectos emocionais da dor

Com a ajuda de exames de ressonância magnética no cérebro, os pesquisadores descobriram que o ingrediente psicoativo da maconha reduz a atividade na parte do cérebro ligada aos aspectos emocionais da dor.
Mas o efeito na sensação de dor relatada pelos pacientes varia consideravelmente.
Os voluntários receberam um comprimido com 15mg de THC (tetrahidrocanbinol, o ingrediente psicoativo da maconha) ou um placebo, e passaram um creme na pele da perna, feito de pimenta malagueta, para induzir a dor, ou um creme sem efeito como placebo.
Cada participante foi submetido a quatro exames de ressonância magnética, que revelaram como suas atividades cerebrais mudavam quando sua percepção da dor era reduzida.

Analgésico seletivo

"Descobrimos que, com o THC, as pessoas na média não relatavam nenhuma mudança na queimação, mas a dor os incomodava menos", afirma o Dr. Lee.
"Os exames cerebrais mostram pouca redução nas regiões do cérebro que codificam a sensação de dor, que é o que vemos com outras drogas como os opiáceos. Em vez disso, a maconha parece afetar principalmente a reação emocional à dor de uma maneira altamente variável", disse.
"Podemos no futuro prever quem responde à maconha, mas precisaríamos de mais estudos em pacientes com dor crônica em períodos mais longos de tempo", afirma.

Fonte: BBC