sábado, 19 de janeiro de 2013

Medicamento pode salvar gestantes com eclampsia


A fórmula foi aplicada em 14 gestantes brasileiras    

Doenças relacionadas com 40% das mortes ocorridas na gestação e no parto no Brasil, a pré-eclampsia e a eclampsia podem ser superadas em breve.

Tratamento inédito desenvolvido por um grupo de pesquisadores brasileiros da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a União Química Indústria Farmacêutica, detentora da licença da patente do medicamento, já passou na primeira fase dos testes clínicos. Trata-se de um anti-hipertensivo para uso durante a gravidez. Entre 2009 e 2011, a fórmula foi aplicada em 14 gestantes com pré-eclâmpsia grave, caso em que interrupção da gravidez era recomendada. "A medicação melhorou a função dos vasos sanguíneos sem ter sido tóxica para as mães ou para os fetos", explica o médico Robson Augusto Souza dos Santos, responsável pela pesquisa e professor do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG. O medicamento é baseado em um fragmento de proteína produzido pelo próprio organismo humano, que atua no controle cardiovascular. 

O próximo passo da pesquisa, previsto para o primeiro semestre deste ano, é ampliar os ensaios para uma amostragem maior, de 100 mulheres. Depois, envolver outros centros de pesquisa do país e, possivelmente, do exterior - o chamado estudo multicêntrico.

Fonte: Guia da Farmácia