terça-feira, 28 de maio de 2013

Pesquisa indica que medicamento nitroprussiato de sódio usado contra hipertensão pode controlar esquizofrenia

Uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade de Alberta, no Canadá, descobriu que um medicamento usado para tratar hipertensão se mostrou mais eficaz ante os tratamentos atuais para esquizofrenia. 

Os testes com a substância, o nitroprussiato de sódio, resultaram em ação mais rápida, sem efeitos colaterais e maior controle dos sintomas do transtorno mental. Os resultados foram publicados on-line no periódico médico "JAMA Psychiatry”. 

A esquizofrenia, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde, OMS, acomete 1% da população. Os principais sintomas são desorganizações psíquicas, como delírios e alucinações, mas também cognitivas , como falta de atenção e redução no contato social, por exemplo. 

De acordo com o professor da FMRP, Jaime Hallak, que coordenou os estudos, os medicamentos usados atualmente contra a esquizofrenia mostram eficácia só em parte dos sintomas, como delírios e alucinações. Nos demais sintomas, chamados de "negativos", como os que atingem a cognição, os medicamentos atuais deixam a desejar.

O estudo dividiu os pacientes em dois grupos de dez pessoas --um recebeu o medicamento e o outro, placebo. No grupo que recebeu o nitroprussiato, houve controle mais rápido dos sintomas da doença. Com uma única administração do medicamento, o efeito positivo durou por cerca de quatro semanas. 

A sequência do estudo, já em andamento, envolve testes em aplicações repetidas e com diferentes doses, além do uso da droga em outros quadros psiquiátricos, como depressão psicótica.

Fonte: CRF-SP