quinta-feira, 13 de junho de 2013

Novo medicamento melhora função pulmonar e qualidade de vida de pacientes com DPOC

Novo medicamento em desenvolvimento para DPOC mostrou eficácia superior na redução de exacerbações, melhora da função pulmonar e qualidade de vida segundo estudo publicado no ‘Lancet Respiratory Medicine’.

Os resultados do estudo SPARK mostraram que o primeiro duplo broncodilatador  QVA149, da Novartis, reduziu em 14% a taxa de todas as exacerbações em  DPOC comparado  ao tratamento mais utilizado atualmente.

As exacerbações, conhecidas como crises, impactam significativamente na morbidade, mortalidade e qualidade de vida dos pacientes levando a um aumento de custos na saúde.

A DPOC será a 3ª maior causa de mortes no mundo até 2030, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Melhora na função pulmonar e maior eficácia na redução das exacerbações na Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) foram os principais resultados do estudo SPARK, publicado no ‘Lancet Respiratory Medicine’. O estudo, com duração de 64 semanas, teve a participação de 2.224 pacientes com DPOC grave a muito grave e mostrou que uma única dose diária deste duplo broncodilatador  em estudo QVA149 (maleato de indacaterol 110 mcg/ glicopirronio 50 mcg) foi mais eficaz do que o glicopirronio 50 mcg e o tiotrópio 18 mcg, o tratamento mais utilizado atualmente na maior parte do mundo. Este é o primeiro estudo a avaliar o efeito de uma combinação em dose fixa das duas classes de broncodilatadores, LABA (beta2-agonista de longa ação) e LAMA (antagonista muscarínico de longa duração) sobre as exacerbações, em comparação às terapias LAMA individuais.

O estudo SPARK demonstrou que a taxa de todas as exacerbações (leve, moderada e grave) com o uso do broncodilatador duplo (QVA149) foi significativamente reduzida em 14% em comparação ao tiotrópio 18 mcg (p = 0,0017). O estudo também demonstrou que o efeito do QVA149 resultou em função pulmonar significativamente melhor. Além disso, o medicamento mostrou diferenças significativas na qualidade de vida relacionada à saúde durante o estudo, conforme demonstrado pelas pontuações totais mais baixas (quanto mais baixa a pontuação maior a melhora na qualidade de vida) no Questionário Respiratório de St George (SGRQ), método bem estabelecido para avaliação de qualidade de vida em pacientes com DPOC.

A gestão eficaz das exacerbações da DPOC é muito importante tanto para pacientes como médicos, uma vez que as exacerbações impactam de forma significativa na morbidade, mortalidade e redução na  qualidade de vida promovendo um aumento de custos na saúde. Exacerbações frequentes estão ligadas a um declínio acelerado na função pulmonar e na piora da qualidade de vida. Internações hospitalares devido a exacerbações estão aumentando e pacientes com doença associadas (comorbidades) graves somam cerca de 70% dos custos médicos diretos na DPOC.

A Novartis está empenhada em atender as necessidades médicas dos pacientes com DPOC e melhorar a sua qualidade de vida, fornecendo medicamentos e dispositivos inovadores. O SPARK é um dos 10 estudos que investigam o QVA149 para o tratamento da DPOC no programa de estudos clínicos de Fase III (IGNITE), que envolve mais de 7.000 pacientes em 42 países.

Sobre o portfólio de DPOC da Novartis

O Onbrize® Breezhaler® (indacaterol) é um LABA que oferece broncodilatação sustentada por 24 horas combinada a um rápido início de ação dentro de cinco minutos na primeira dose, conforme demonstrado no programa de estudos de Fase III INERGIZE. O medicamento já é aprovado em mais de 100 países em todo o mundo, incluindo o Brasil, União Europeia, Estados Unidos e Japão.

Seebri® Breezhaler® (brometo de glicopirrônio) é um LAMA inovador, com posologia de uma vez ao dia, aprovado até o momento na União Europeia, Japão, Canadá, Austrália, entre outros países, como tratamento broncodilatador para aliviar os sintomas em pacientes  com DPOC. Dados de Fase III dos estudos GLOW 1, 2 e 3 demonstraram que glicopirrônio 50 mcg oferece melhora rápida sustentada e significativa na função pulmonar nas primeiras horas da manhã já no primeiro dia de tratamento, com efeito sustentado por 24 horas ao longo de 52 semanas, e melhora significativamente a resistência a exercícios. No Brasil, o medicamento aguarda a aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Novartis continua o desenvolvimento de produtos respiratórios que são administrados através do dispositivo Breezhaler®, um inalador que tem baixa resistência ao fluxo de ar, o que faz dele adequado para os pacientes com limitação de fluxo de ar. O dispositivo Breezhaler® permite que os pacientes ouçam, sintam e vejam que inalaram, corretamente a dose recomendada.

Fonte: Dikajob