sábado, 17 de janeiro de 2015

Saúde do homem está fortemente associada à qualidade do sêmen

A infertilidade masculina resultante de uma baixa qualidade dos espermatozoides pode estar associada a outros problemas de saúde, como hipertensão, doença cerebrovascular, doenças de pele e endócrinas, sugere um estudo publicado na revista “Fertility and Sterility”.

De forma a chegar a estas conclusões, os investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Stanford, nos EUA, analisaram os registros médicos de 9.387 homens inférteis que tinham entre 30 e 50 anos. Entre 1994 e 2011, todos os pacientes forneceram amostras de sêmen para avaliação de algumas características como volume, concentração e motilidade dos espermatozoides.

A baixa qualidade dos espermatozoides foi a causa de infertilidade em cerca de 50% dos casos. Posteriormente os investigadores compararam a ocorrência de outros problemas de saúde em homens com alterações no sêmen, e em homens em que a infertilidade era resultante de outras causas. 

O estudo apurou que para além dos problemas de infertilidade, 44% dos homens tinham também outros problemas de saúde. Verificou-se que havia uma associação entre uma baixa qualidade do sêmen e doenças do sistema circulatório incluindo hipertensão, doença vascular e doença cardíaca, bem como doenças de pele e endócrinas.

Os investigadores verificaram ainda que quando mais alterações o sêmen apresentava, maior era o risco de os homens terem outras condições médicas adicionais.

Apesar de ainda não se saber ao certo quais os motivos desta associação, o primeiro autor do estudo, Michael Eisenberg, refere que cerca dos 15% dos genes do genoma humano que estão associados à reprodução, a maioria destes também desempenha um papel importante noutros sistemas do organismo.

A saúde do homem está fortemente associada à qualidade do sêmen. Dada a elevada incidência da infertilidade, é necessário ter uma visão mais ampla. À medida que tratamos a infertilidade masculina, também devemos avaliar a saúde no seu todo. A ida a uma clínica de fertilidade representa uma grande oportunidade para melhorar o tratamento de outras condições, que agora suspeitamos que realmente possa ajudar a resolver a infertilidade (…)”, conclui o investigador.

Foto: www2.uol.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário