quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Farmácia oncológica é importante aliada no tratamento de pacientes com câncer

A farmácia representa um serviço importante dentro do tratamento oncológico. O farmacêutico participa ativamente de todas as etapas do processo do tratamento do paciente, intervindo e prevenindo a ocorrência de possíveis falhas antes da administração do medicamento e possibilitando maior segurança à prescrição médica e ao paciente.

"Todos os agentes quimioterápicos devem ser preparados por profissionais qualificados e treinados especificamente para tal procedimento. A área tem acesso restrito somente para pessoas treinadas e fica em local isolado", explica Danielle Barbosa, farmacêutica do Instituto Paulista de Cancerologia (IPC).

De acordo com Danielle, a base do tratamento citotóxico para o farmacêutico possui pontos relevantes como a logística adequada para o recebimento da prescrição médica, a avaliação da prescrição (conferência do protocolo prescrito, averiguação das doses dos medicamentos a partir da superfície corporal, avaliação dos intervalos de doses e do número de ciclos proposto no protocolo e inclusão de medicamentos de suporte ou adjuvantes), além de fornecer a quimioterapia pronta para o uso e devidamente identificada para a equipe de enfermagem. 

A profissional conta que a identificação de possíveis erros de fármacos antineoplásicos é uma tarefa prioritária da farmácia oncológica: "doses incorretas, omissão involuntária de algum fármaco ou imprecisão quanto ao nome do mesmo, confusões quanto ao ciclo terapêutico que deverá ser seguido, via de administração e o tempo de infusão inadequado são potenciais erros durante o processo. O farmacêutico deve garantir a segurança neste processo com bom preparo técnico e clínico, além da integração e boa comunicação junto à equipe assistencial de saúde que cuida do paciente."

A exposição dos profissionais envolvidos nas diversas fases da terapia antineoplásica pode ser controlada efetivamente com a correta utilização dos equipamentos, podendo ocorrer durante o preparo, durante a administração e durante o descarte. Segundo a farmacêutica, "para evitar que estes momentos se transformem em acidentes, o farmacêutico deverá elaborar procedimentos operacionais padrões que determinem o fluxo de trabalho e a execução das atividades, além de prever um plano de contingência no caso de acidentes durante o processo de manipulação."

Outro fator que merece importância dentro de uma farmácia oncológica é a certificação ISO 9001:2008. Hoje, a farmácia do Instituto Paulista de Cancerologia possui a certificação oferecendo ao paciente a certeza que existe um sistema confiável de controle das etapas de desenvolvimento, elaboração, execução e entrega do produto provido de um tratamento formal. "A conquista da ISO 9001:2008 trouxe muitos benefícios à instituição como um todo, aos pacientes e a nossa equipe, que está sempre motivada a alcançar resultados cada vez melhores. Nosso objetivo é a cada dia oferecer mais segurança e qualidade para o paciente", completa Danielle.

Sugestão de fonte: Danielle Barbosa - farmacêutica do Instituto Paulista de Cancerologia – IPC
Foto: lutacontraocancer-elianefranco.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário