terça-feira, 10 de março de 2015

Senolíticos: os medicamentos que poderão aumentar drasticamente seus anos de vida

Uma equipe de pesquisadores do The Scripps Research Institute (TSRI) – um renomado laboratório de biomedicina dos Estados Unidos, em conjunto com os pesquisadores da Mayo Clinic, uma organização sem fins lucrativos da área da saúde, também dos Estados Unidos, e outras instituições recentemente identificaram uma nova classe de drogas, a qual estão chamando de Senolíticos.

O que são os Senolíticos?

Em pesquisas desenvolvidas em animais, os senolíticos, ou “senolytics”, termo original em inglês, mostraram um efeito surpreendente: eles diminuem drasticamente o processo de envelhecimento, além de aliviar sintomas de fragilidade que vem com a idade, melhorar a função cardíaca e estender a vida útil saudável.

De acordo com o Professor Paul Robbins, PhD da TSRI e um dos líderes da pesquisa, este estudo é um grande primeiro passo para o desenvolvimento de tratamentos que podem ser oferecidos de forma segura aos pacientes com doenças relacionadas a transtornos de idade.

“Quando os agentes senolíticos, como a combinação que identificamos, são utilizados clinicamente, os resultados podem ser transformadores”, avalia.
Segundo o Professor James Kirkland, autor sênior do novo estudo, os protótipos desses agentes senolíticos têm comprovado sua capacidade para aliviar várias características associadas ao envelhecimento e podem, eventualmente, se tornarem viáveis para atrasar, prevenir, aliviar ou mesmo reverter múltiplas doenças crônicas e deficiências.

Encontrando o alvo

As células senescentes – células que pararam de se dividir – se acumulam com a idade e aceleram o processo de envelhecimento. Uma vez que o “healthspan” (tempo livre da doença) em camundongos foi reforçado para matar essas células, os cientistas encontraram tratamentos que poderiam realizar essa mesma tarefa em humanos.

A questão é…

Os cientistas foram confrontados com a questão, porém, de como identificar e atingir as células senescentes sem danificar outras células.
A equipe suspeita que a resistência das células senescentes à morte por stress e outros danos poderiam fornecer uma pista. De fato, usando a análise de transcrição, os pesquisadores descobriram que, como as células cancerosas, as células senescentes têm um aumento da expressão de “redes pró-sobrevivência” que os ajudam a resistir à morte celular programada.

Esta descoberta fornece critérios-chave para procurar potenciais candidatos a fármacos.

Vamos poder comprar senolíticos em breve?

Na verdade, a gente já pode. Usando estes parâmetros, a equipe encontrou senolíticos em dois compostos já disponíveis no mercado: o dasatinib, medicamento para o cancro (vendido sob o nome comercial Sprycel®) e quercetina, um composto natural vendido como um suplemento que atua como um anti-histamínico e anti-inflamatório.
Mais testes em cultura de células mostraram que estes compostos induzem seletivamente a morte de células senescentes.
Os dois compostos, contudo, tinham diferentes pontos fortes.

O Dasatinib é eficiente para eliminar progenitores das células de gordura humanas senescentes, enquanto a quercetina se mostrou mais eficaz contra as células endoteliais humanas senescentes e células-tronco da medula óssea do rato. Uma combinação dos dois foi em geral, e como esperado, mais eficaz.

Resultados notáveis

Em seguida, a equipe analisou como estas drogas afetaram a saúde e o processo de envelhecimento em camundongos.
“Em modelos animais, os compostos melhoraram a função cardiovascular e exercícios de resistência, reduziu a osteoporose e a fragilidade, e prolongaram o tempo livre da doença”, disse Niedernhofer, cujos modelos de envelhecimento acelerado dos animais foram amplamente utilizados no estudo. “Notavelmente, em alguns casos, estas drogas fazem efeito com que apenas um único curso de tratamento.”

Em ratos velhos, a função cardiovascular melhorou no prazo de cinco dias de uma dose única de senolíticos. Essa dose levou a uma melhoria na capacidade de exercício em animais enfraquecidos pela terapia de radiação utilizada para o cancro.

O efeito durou pelo menos sete meses após o tratamento com as drogas. A administração da droga periódica dos ratos com envelhecimento acelerado prorrogou o tempo livre da doença (healthspan) nos animais, retardando os sintomas relacionados com a idade, degeneração da coluna e osteoporose.
Os autores advertem que mais testes são necessários antes da utilização em seres humanos. Eles também observam que ambas as drogas em estudo têm possíveis efeitos colaterais, pelo menos, com o tratamento a longo prazo.

Os pesquisadores, no entanto, continuam otimistas sobre o potencial de seus achados. “A senescência (processo de envelhecimento dos seres vivos) está envolvida em uma série de doenças e patologias por isso poderia haver muitas possibilidades de aplicações para estes compostos e seus similares”, disse Robbins. “Além disso, nós antecipamos que o tratamento com drogas senolíticas para eliminar as células danificadas seria pouco frequente, reduzindo a chance de efeitos colaterais.”

Foto: Livro Guia da Pessoa Idosa – Dicas e Direitos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário