terça-feira, 30 de junho de 2015

Medicamentos contra refluxo são associados a ataque cardíaco

Medicamentos amplamente utilizados contra o refluxo gastroesofágico, conhecidos como inibidores da bomba de prótons (IBPs) como Omeprazol e Lansoprazol, talvez aumentem o risco de ataque cardíaco, de acordo com dados que envolveram quase três milhões de pessoas.

Estudos anteriores descobriram que os IBPs estão associados a efeitos desfavoráveis em pessoas com doenças cardíacas e a causa talvez seja interação com o clopidogrel – medicamento geralmente prescrito após a ocorrência de ataque cardíaco. O novo estudo examina o risco de ataque cardíaco em pessoas saudáveis.

Os pesquisadores utilizaram mineração de dados, processo de busca por padrões consistentes em uma grande quantidade de dados, para examinar o uso dos medicamentos ao longo do tempo. As evidências de que eles aumentavam o risco de ataque cardíaco foram descobertas no ano 2000.

"Esse tipo de análise é possível atualmente graças à abrangência da disponibilidade de registros médicos eletrônicos. É um benefício desse sistema de registros eletrônico de que as pessoas estão sempre falando", afirmou Nigam H. Shah, professor adjunto de Medicina da Universidade Stanford.

Não foi encontrada associação entre ataques cardíacos e outra classe de medicamentos usada no tratamento de refluxo gastroesofágico, os bloqueadores H2, como Zantac, Tagamet e Famotidina. Os pesquisadores sugerem que os IBPs favorecem o surgimento de inflamações e coágulos ao interferir nas enzimas protetoras.

Uma limitação significativa do estudo, publicado no periódico PLOS One, é o fato de que o uso de IBPs pode ser um marcador de pacientes que possuam mais doenças, e também estejam mais sujeitos a possuir doenças cardíacas.

Foto: www2.donaldson.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário