segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Bactérias que se alimentam de nicotina podem abrir caminho a nova terapia anti-tabagismo

Cientistas do Instituto de Pesquisa Scripps (TSRI), nos Estados Unidos, estão a testar uma nova terapia anti-tabagismo baseada numa enzima bacteriana que devora a nicotina antes que esta possa chegar ao cérebro.

Os pesquisadores esperam que a terapia enzimática possa oferecer uma alternativa mais bem-sucedida no combate ao tabagismo.
Num artigo publicado no Journal of the American Chemical Society, a equipe explica que a enzima pode ser criada em laboratório e tem uma série de características que a tornam num candidato promissor para o desenvolvimento de fármacos.

A terapia procura destruir a nicotina antes que esta possa atingir o cérebro, evitando assim que a substância se torne viciante. Kim Janda, autor sênior do estudo, explica que a pesquisa está ainda numa fase inicial, mas a enzima tem as propriedades certas para se poder tornar numa terapêutica bem-sucedida.

Os pesquisadores reforçam ainda que há algum trabalho a fazer para melhorar o potencial da enzima para que esta se possa tornar num potencial tratamento, como, por exemplo, será necessário remover vestígios da sua origem bacteriana para reduzir a possibilidade de desencadear uma reação imunitária.

Fonte Medical News Today
Por: Dikajob


Nenhum comentário:

Postar um comentário