segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Pacientes com paralisia movem as pernas sem cirurgia

Estimulação elétrica

Cinco homens com paralisia motora completa foram capazes de gerar voluntariamente movimentos similares ao passo para andar, graças a uma nova estratégia não-invasiva de estimulação elétrica na medula espinhal.

Até agora, todos os tratamentos experimentais desse tipo usaram um dispositivo de estimulação elétrica implantado cirurgicamente na medula espinhal.

A nova estratégia, chamada estimulação transcutânea, dispara uma pequena corrente elétrica na medula espinhal por meio de eletrodos colocados estrategicamente sobre a pele da parte inferior das costas.

Isso amplia para nove o número de indivíduos completamente paralisados que conseguiram executar movimentos voluntários durante a recepção da estimulação da coluna vertebral, embora esta seja a primeira vez que o estímulo foi aplicado de forma não-invasiva.

Fim da paralisia?

No primeiro teste da nova técnica, os movimentos ocorreram enquanto as pernas dos pacientes ficavam suspensas por cintas que pendiam do teto, o que lhes permitia mover-se livremente, sem resistência da gravidade e sem risco de quedas.

O movimento nesse ambiente controlado não é comparável a andar, mas os resultados sinalizam progressos significativos para o eventual objetivo de desenvolver uma terapia para uma ampla gama de indivíduos com lesão medular.

"Estes resultados encorajadores fornecem mais evidências de que a lesão medular pode já não significar uma sentença de paralisia por toda a vida, e indica a necessidade de mais pesquisas," disse Roderic Pettigrew, diretor de Biomédica e Bioengenharia dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA.

Fonte: Diário da Saúde 

Nenhum comentário:

Postar um comentário