domingo, 20 de setembro de 2015

Anticoncepcional e a prevenção do câncer ginecológico

Sétimo e oitavo tipos de câncer mais comuns no Brasil, o câncer de endométrio e de ovário têm mais de cinco mil novos casos, previstos para o ano de 2015. Porém, pesquisas recentes estabeleceram um importante fator de proteção para essas doenças ginecológicas, que pode ajudar a reduzir suas incidências: o anticoncepcional.

"A literatura médica observou que o uso do anticoncepcional por, pelo menos 5 anos, pode contribuir para  a prevenção de  câncer  de ovário. E quanto mais tempo de uso, maior o fator de proteção", afirma Dr. Glauco Baiocchi, diretor do Núcleo de Ginecologia Oncológica do A.C.Camargo. Quanto ao câncer de endométrio, Baiocchi ressalta que esse método também pode ajudar a preveni-lo, porém outras questões interferem nesse processo. "Nesse caso, a obesidade é um fator de risco bastante influente para o desenvolvimento do câncer de endométrio". Dessa forma, mesmo que a mulher faça uso contínuo do método contraceptivo, outros fatores devem ser levados em conta.

Atualmente, o risco de desenvolvimento do câncer de ovário é somente 1,4%. O uso de contraceptivo pode reduzir esse número, porém, só deve ser utilizado em caso de indicação médica. "Geralmente, recomenda-se o anticoncepcional para controlar o ciclo menstrual, para evitar a gravidez ou em razão de alterações hormonais, e não por ser fator protetor de uma doença rara na população", explica Baiocchi. "Mas é possível afirmar que um número de mulheres irá deixar de ter câncer de ovário e de endométrio porque usaram anticoncepcional", avalia.

Contraindicação

Nem todas as mulheres podem usar o contraceptivo no seu cotidiano. "Mulheres com histórico de trombose, especialmente a partir dos 40 anos de idade, devem evitar o uso. Outra contraindicação são as pacientes com câncer de mama", exemplifica Baiocchi.

O uso de anticoncepcional também não traz riscos à gravidez da mulher, caso ela queira engravidar futuramente. 

Dr. Glauco Baiocchi Neto - CRM 97501
Diretor do Núcleo de Ginecologia Oncológica
Especialista em Cancerologia Cirúrgica - RQE nº 42471

Fonte: A. C. Camargo 


Nenhum comentário:

Postar um comentário