terça-feira, 17 de novembro de 2015

Entenda a síndrome do olho vermelho e saiba como prevenir

Com a chegada do verão e do calor, aumentam os casos de síndrome do olho vermelho. As altas temperaturas permitem a maior proliferação de bactérias no ar, causando maior incidência do problema. A mudança de hábitos na estação e a oscilação dos termômetros em ambientes internos e externos também deixa a região ocular mais suscetível.

Segundo um informativo da Universidade Federal do Ceará, a vermelhidão nos olhos é uma queixa comum e que corresponde até um terço dos atendimentos de urgência oftalmológica.

Causas da síndrome do olho vermelho

A síndrome do olho vermelho é percebida pela vermelhidão na parte branca dos olhos. A cor diferenciada é causada pela dilatação dos vasos sanguíneos nessa parte. Outros sintomas comuns do problema são secura, visão borrada, sensibilidade à luz, coceira, lágrimas frequentes, queimação e até a sensação de que há algo incomodando os olhos.

O problema é mais comum em usuários de lentes de contato e em crianças. O primeiro grupo é atingido pelo uso excessivo do produto em contato com o olho. A má manutenção e higienização das lentes também cria um ambiente propício para a irritação e vermelhidão.

As crianças acabam ficando mais expostas à síndrome do olho vermelho pelas atividades típicas do verão. O cloro da piscina, por exemplo, é um agente bastante prejudicial para a região ocular e causa desconforto. 

Fora a irritação causada por algum agente, como lentes, sujeira ou cloro, os olhos têm tendência à vermelhidão em casos de alergia, conjuntivite (tanto viral quanto bacteriana), ceratite e olho seco. A falta de oxigenação, causada pela exposição ao ar-condicionado e uso prolongado de lentes de contato, é a causa mais comum em adultos.

Diagnóstico e tratamento

Alguns problemas que geram a vermelhidão nos olhos têm sintomas idênticos. É o caso de reações alérgicas e conjuntivite viral, por exemplo. Mas o tratamento para cada uma dessas situações é diferente, por isso é importante consultar um especialista e evitar ao máximo a automedicação.

Ao menor sinal de vermelhidão e irritação, ainda mais se acompanhados de outros sintomas, um médico deverá ser consultado. O tratamento para o problema deve ser feito conforme a causa. Algumas situações permitem uma recuperação rápida apenas com uso de colírio e outras necessitam de antibióticos.

A automedicação pode piorar a situação do problema e ainda colocar a visão em risco. Evite.

Como prevenir a síndrome do olho vermelho

Alguns cuidados ajudam a manter a saúde ocular e ficar longe das causas de vermelhidão. Cuidar da higiene das mãos é uma das principais atitudes para evitar que sujeiras e micro-organismos entrem em contato com os olhos e causem problemas.

 Não compartilhar produtos de uso na região dos olhos, como rímel e maquiagens, também evita a contaminação de vírus e bactérias. Evitar o contato próximo e aglomerações também são medidas de prevenção contra qualquer infecção nos olhos.

Com informações de http://doutissima.com.br, Aglaia de Deus


Nenhum comentário:

Postar um comentário