terça-feira, 17 de novembro de 2015

Soja pode proteger mulheres na menopausa da osteoporose

O consumo de uma dieta rica em proteína de soja e isoflavonas pode proteger as mulheres menopáusicas do enfraquecimento ósseo e osteoporose, dá conta um estudo preliminar apresentado recentemente na reunião da Sociedade de Endocrinologia.

A osteoporose é uma condição comum onde os ossos tornam-se quebradiços e frágeis e há perda de tecido ósseo, causando cerca de 9 milhões de fraturas a cada ano em todo o mundo. Nas mulheres, a perda óssea ocorre mais rapidamente nos anos imediatamente após a menopausa uma vez que há uma menor produção do hormônio estrogênio, que protege contra a perda óssea.

A soja contem substâncias químicas que são conhecidas como isoflavonas que têm uma estrutura semelhante à do estrogênio e por isso, teoricamente, poderia proteger as mulheres contra a osteoporose, imitando a ação do hormônio.

Neste estudo os investigadores da Universidade de Hull, no Reino Unido, forneceram a 200 mulheres, que se encontravam no início da menopausa, um suplemento diário de proteína de soja com 66mg de isoflavonas ou um suplemento de apenas proteína de soja ao longo de seis meses. Foram analisadas a alterações na atividade óssea das mulheres através da medição de determinadas proteínas, a ßCTX e a P1NP, no sangue.

O estudo apurou que as mulheres que tinham consumido uma dieta de soja com isoflavonas apresentavam níveis significativamente mais baixos de ßCTX, comparativamente com aquelas que consumiram apenas soja. Estes resultados sugerem que a taxa de perda óssea foi abrandando, diminuindo consequentemente o risco de desenvolvimento de osteoporose. As participantes que consumiram proteína de soja com isoflavonas também apresentaram um menor risco de doença cardiovascular, comparativamente com aquelas que apenas consumiram proteína de soja. 

“Constatamos que a proteína de soja e as isoflavonas são uma opção segura e eficaz para melhorar a saúde óssea das mulheres no início da menopausa. A ação da soja perece mimetizar os fármacos convencionais contra a osteoporose”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, Thozhukat Sathyapalan.

Os investigadores referem que os 66 mg de isoflavonas utilizadas no estudo é o equivalente a consumir uma dieta oriental que é rica em soja. Contudo, a dieta ocidental tem, em média, apenas 2 a 16 mg de isoflavonas.

“Complementar a dieta com isoflavonas pode conduzir a diminuição significativa do número de mulheres diagnosticadas com osteoporose”, concluem os investigadores.

Com informações de ALERT Life Sciences Computing, S.A.


Nenhum comentário:

Postar um comentário