sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Cientistas identificam nova DST que nem sempre causa sintomas

Cientistas identificaram uma possível nova infecção sexualmente transmissível que raramente causa sintomas. A bactéria responsável, chamada Mycoplasma genitalium, foi descoberta há 30 anos, mas agora um estudo reforça a teoria de que a contaminação ocorre por contato sexual.

Segundo trabalho publicado no International Journal Epidemiology e divulgado no jornal Daily Mail, aproximadamente 1% da população britânica de 16 a 44 anos está infectada. Indivíduos com vários parceiros sexuais, que não usam camisinha e vivem em áreas mais carentes foram os que mais tiveram resultado positivo em exames de urina feitos em mais de 4.500 pessoas no Reino Unido.

Os pesquisadores dizem que mais de 90% dos infectados são homens. Entre as mulheres afetadas, dois terços estavam na faixa de 25 a 44 anos. Os pesquisadores não encontraram a infecção em jovens de 16 e 17 anos que ainda não haviam feito sexo, por isso eles acreditam que se trata mesmo de uma doença sexualmente transmissível.

Os efeitos a longo prazo da infecção ainda não estão claros, mas pesquisas indicam que há risco de inflamação de uretra, doença inflamatória pélvica e, eventualmente, infertilidade feminina. A maioria dos infectados da pesquisa não havia apresentado sintomas no mês anterior aos testes. Entre os sinais relatados, o mais comum foi sangramento após a relação sexual.

Ainda são necessárias mais pesquisas para detalhar essa nova infecção, mas, ao que tudo indica, as pessoas vão ter mais um motivo para usar camisinha.

Com informações de Uol


Nenhum comentário:

Postar um comentário