sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Cirurgia bariátrica elimina compulsão por doces

Ponte gástrica

Recentemente os médicos constataram que alguns tipos de cirurgias bariátricas - como a ponte gástrica, ou bypass gastrointestinal -, feitas para reduzir o tamanho do estômago, ajudam também a combater o diabetes.

Estudos iniciais indicaram que a cirurgia bariátrica pode funcionar por causa das alterações nas bactérias comensais, as bactérias benéficas que vivem em nosso sistema gastrointestinal.

Agora, uma equipe internacional, com participação de pesquisadores brasileiros, está apontando o dedo para outra possibilidade.

Vício em açúcar

Enquanto realizava pesquisas na Universidade de Yale (EUA), Tatiana Lima Ferreira constatou que a ponte gástrica causa uma diminuição do apetite por açúcar ativando centros controladores do hábito - sistema de recompensas - diretamente no cérebro.

Trabalhando com animais de laboratório, a equipe primeiro induziu um comportamento de habitualidade, uma espécie de "vício" em açúcar, e, a seguir, submeteu os animais à cirurgia bariátrica com bypass gastrointestinal, em que é feita uma conexão direta do estômago com uma parte inferior do trato gastrointestinal, chamada jejuno.

O procedimento de alteração da rota gastrointestinal suprimiu a compulsão dos animais por açúcar.

Segundo a análise da equipe, isso aconteceu pela redução da liberação de dopamina na região cerebral do estriado dorsal induzida pela ingestão das bebidas adocicadas.

"Mesmo expostos cronicamente ao açúcar, os camundongos submetidos à cirurgia bariátrica com bypass gastrointestinal passaram a não apresentar mais o comportamento de querer sempre mais açúcar em razão da diminuição da liberação de dopamina no estriado dorsal," explicou Tatiana. "Provavelmente a compulsão por açúcar não está associada ao sabor doce, mas à caloria do carboidrato."

Reativação do hábito

Se esse for o único mecanismo de eficácia da cirurgia bariátrica, contudo, isso pode significar problemas, porque o comportamento de "vício no açúcar" pode retornar.

Por meio de uma técnica de neurociência, chamada optogenética - em que é injetado um vírus em uma região específica do cérebro para fazer com que os neurônios daquela região cerebral expressem uma proteína sensível à luz -, os pesquisadores conseguiram ativar neurônios que expressam receptores de dopamina no cérebro dos animais.

Com isso, os animais aumentaram o consumo de substâncias adocicadas, derrubando os efeitos da cirurgia bariátrica com bypass gastrointestinal.

Com informações da Agência Fapesp

Nenhum comentário:

Postar um comentário