quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Exames para identificar giardíase

Giardíase é uma infecção no intestino delgado causada por um protozoário unicelular flagelado chamado de giárdia. A giárdia é encontrada no mundo inteiro, sobretudo nos países em desenvolvimento. É muito frequente entre as crianças e nos locais que apresentam condições sanitárias deficientes. 

A transmissão do parasita pode ser realizada de uma pessoa para outra por meio da transferência dos cistos através de mãos sujas de fezes para a boca, de forma direta entre crianças ou parceiros sexuais, ou ainda de forma indireta, cuja contaminação é contraída pela ingestão de alimentos ou água contaminados pelo protozoário. 

Este parasita apresenta-se sob as formas de trofozoítos, ou seja, forma ativa na qual se alimenta e se reproduz. As formas de cistos são as formas infectantes e de resistência do parasita. Os cistos ingeridos, em sua passada pelo meio ácido do estômago, são ativados e se transformam em trofozoítos. 

Sintomas

Diarreia, déficit de crescimento, distensão e dor abdominal, anemia, fadiga, má absorção, náuseas e vômitos, perda de vitaminas lipossolúveis, perda de peso.

Prevenção

Sanitários adequados, higiene pessoal, consumir água filtrada, higienização dos alimentos.

Exames para identificar giardíase: 

Coprológico: 

Sinonímia: prova funcional do aparelho digestivo, prova de digestão alimentar, coprológico funcional. 

Seção técnica: Parasitologia. 

Material: fezes recém-emitidas. 

Peso mínimo: 30 g. 

Colheita, conservação: após a colheita, enviar o material rapidamente ao laboratório (máximo de duras horas). Manter a amostra refrigerada. Não contaminar com urina. 

Preparo do paciente: o paciente deve fazer a dieta de prova de Schmidt, durante três dias, evitando o uso de medicações por via oral, bebidas gasosas ou alcoólicas. 

Método: análise macro e microscópica e reações químicas. 

Interferentes: dieta inadequada, medicamentos, fezes não recentes e/ou não refrigeradas. 

Valores de referência: 

odor: fecal; 
cor: castanha;
pH: 6,5 - 7,5 (crianças maiores de 4 anos e adultos); 
resíduos macroscópicos = ausentes; 
resíduos microscópicos = de amido cru: ausentes ou raros, de amido incluído: ausentes ou raros, de amido amorfo: ausentes ou raros; 
celulose digerível = pequena quantidade; 
fibras musculares bem digeridas = ausentes ou raras; 
gotículas de gorduras neutras = raras ou ausentes; 
cristais de ácidos graxos = raros ou ausentes; 
formações de sabões= ausentes ou raras; 
reações: mucina: + ou ++, proteínas: ausentes ou fracamente positivas; proteínas degradadas: ausentes; bilirrubina: ausente; estercobilina: + ou +++.
Dosagem de ácidos orgânicos: 14 a 18%.
Amoníaco: de traços a 4,5%.

Interpretação

O teste é útil na avaliação dos distúrbios tanto funcionais quanto orgânicos do processo de digestão e absorção de alimentos. Através dessa prova é possível avaliar, embora de maneira pouco precisa, as funções motoras, digestivas e absortivas dos diferentes segmentos do tubo digestivo: estômago, intestino delgado e cólons. Atualmente vem sendo substituídos por exames mais específicos.

Exames relacionados

Pesquisa de gordura nas fezes, dosagem de gorduras nas fezes.

Nota: Este exame não deve ser realizado em crianças (menores que dois anos) que não se alimentam como adultos. Nestes casos, recomenda-se realização do coprológico infantil.

Coprológico para crianças

Sinonímia: coprológico infantil

Seção técnica: parasitologia

Material: fezes recém-emitidas.Peso mínimo: 15 g

Colheita, conservação: após a colheita, enviar o material rapidamente ao laboratório (máximo de uma hora). Manter a amostra refrigerada. Não contaminar com urina.

Preparo do paciente: ---

Método: análise microscópica, pesquisa de substâncias redutoras, determinação do pH e pesquisa de tripsina.

Interferentes: medicamentos, fezes mal conservadas.

Valores de referência:

Pesquisa de gordura: raras gotículas de gordura; grãos de amido: raros.
pH: Valores de referência: 
Lactente em aleitamento materno: 5.0 – 6.0
Lactente em aleitamento com leite de vaca: 7.2 – 9.0
Crianças de 1 a 4 anos: 5.6 – 7.5
Crianças > 4 anos: 6.5 – 7.5
Pesquisa de S. Redutoras: negativa.
Pesquisa de Tripsina: atividade tríptica até a diluição 1/100

Interpretação

Aprova avalia a atividade funcional dos diferentes segmentos do tubo digestivo, detectando alguns distúrbios motores e déficits de absorção.Tem maior valor nas síndromes de má-absorção.

Exames relacionados: prova de absorção da xilose e prova de absorção da lactose.

Fonte: Curso iPED de Interpretação de Exames Laboratoriais que pode ser realizado gratuitamente pelo link: https://www.iped.com.br/farmacia/afiliado/2016127

Nenhum comentário:

Postar um comentário