terça-feira, 8 de março de 2016

Sal pode danificar o fígado

Há muito que se sabe que o consumo excessivo de sal está associado à pressão arterial elevada. Um novo estudo publicado no “Journal of Agricultural and Food Chemistry” refere que uma dieta rica em sal pode também contribuir para danos no fígado nos adultos e nos embriões em desenvolvimento.  

O organismo necessita de sal para levar a cabo funções essenciais. Os íons de sódio ajudam a regular o movimento da água no organismo e a conduzir impulsos nervosos. Contudo, de acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças, nos EUA, a maioria dos americanos consome demasiado sódio, proveniente principalmente do sal.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cada pessoa deveria ingerir menos de 5 gramas de sal por dia para prevenir a doença cardiovascular. Contudo, a ingestão de sal na maioria dos países da Região Europeia da OMS está muito acima da quantidade recomendada. Em Portugal, a quantidade de sal presente na alimentação é cerca do dobro da recomendada.

Estudos anteriores já tinham sugerido que o consumo exagerado de sódio poderia danificar o fígado. Neste estudo, os investigadores da Universidade de Jinan, na China, decidiram analisar melhor o que ocorre ao nível celular.

Os investigadores alimentaram ratinhos adultos com uma dieta rica em sal e expuseram embriões de pintainho a um ambiente salgado. O estudo apurou que níveis elevados de sal conduziram a várias alterações no fígado, como, forma das células, aumento das taxas de morte celular e uma diminuição da proliferação celular, o que pode contribuir para o desenvolvimento de fibrose hepática. 

A fibrose hepática ocorre quando há uma acumulação excessiva de proteínas da "matriz extracelular", como colágeno. Os investigadores sugerem que o mecanismo através do qual o sal pode causar danos no fígado e fibrose, tanto em adultos como nos embriões desenvolvimento, é através de stress oxidativo.

No entanto, os investigadores constataram que o tratamento das células danificadas com a vitamina C ajudou a combater alguns dos danos provocados pelo excesso de sal.

Com informações de ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Nenhum comentário:

Postar um comentário