quinta-feira, 14 de abril de 2016

Vacina preventiva para diabetes tipo 1 age no sistema imunológico

O resultado de um estudo preliminar feito com ratos demonstrou que uma vacina que inclui a bactéria Salmonella viva pode ser um modo seguro e efetivo de prevenir diabetes 1. Pesquisas anteriores investigaram se a inibição da imunidade pode ajudar a controlar a doença autoimune que provoca perda de controle metabólico e aumento nos níveis de açúcar no sangue. Embora tenham conseguido controlar esse processo, alguns estudos não foram adiante devido aos efeitos colaterais excessivos.

“O procedimento padrão atual é tratar os sintomas, os níveis altos de glicose no sangue e suas consequências, sem nos adereçar à autoimunidade característica da doença”, diz Mohamed I. Husseiny Elsayed, professor do Instituto de Pesquisa Beckman da Cidade de Hope, na Califórnia (EUA). Ele apresentou os resultados da vacina no Endo 2016, o encontro anual da Sociedade Endócrina dos EUA. “Estudos anteriores nos deram a pista de que as imunoterapias administradas da forma correta e na dosagem certa, e, provavelmente, como uma terapia combinante podem ser efetivas para tratar pessoas com diabetes. Agora, encontramos essas evidências em um modelo animal”, afirma.

A vacina usa a bactéria Salmonella typhimurium em combinação com outras pequenas proteínas regulatórias chamadas citocinas, além de uma baixa dose da droga imunossupressora Anti-CD3. Juntas, as substâncias rebalançam o sistema imunológico e previnem o ataque às células produtoras de insulina. No estudo, os pesquisadores constataram que a imunoterapia evitou a doença em ratos não obesos e restaurou a tolerância normal à glicose naqueles que já apresentavam sintomas.

Com informações do Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário