quinta-feira, 12 de maio de 2016

Poderosa classe de antioxidantes pode levar ao tratamento da doença de Parkinson

Dados de uma investigação publicados na revista científica Antioxidants & Redox Signaling sugerem que os triterpenóides sintéticos podem um dia ser um potente tratamento para a doença de Parkinson, noticiou o Science Daily, avança o site FirstWord.

Os investigadores, que usaram a neurotoxina MPTP para imitar os danos da doença de Parkinson nas células cerebrais de um modelo animal, foram capazes de bloquear a morte das células cerebrais produtoras de dopamina usando os fármacos para reforçar Nrf2, um regulador de stress oxidativo e inflamação.

"Em doentes com Parkinson, podemos ver claramente uma sobrecarga significativa do stress oxidativo, e foi por isso que escolhemos esta meta", disse o autor correspondente Bobby Thomas, acrescentando que "usamos os fármacos para ativar seletivamente Nrf2".

No ensaio, os cientistas analisaram um número de antioxidantes já em estudo para uma ampla gama de doenças e perceberam que os triterpenóides são os mais eficazes no Nrf2. O co-autor do estudo, Michael Sporn modificou quimicamente os agentes para que eles pudessem permear a barreira sangue-cérebro.

Tanto no neuroblastoma humano como nas células do cérebro de rato, os investigadores foram capazes de documentar um aumento no Nrf2 em resposta aos triterpenóides sintéticos.

Os resultados preliminares sugerem que os triterpenóides sintéticos também aumentam a atividade Nrf2 nos astrócitos, e os investigadores estão agora a analisar o impacto da classe de medicamentos num modelo animal geneticamente programado para adquirir a doença de forma mais lenta, como os humanos.

Com informações de Dikajob 

Nenhum comentário:

Postar um comentário