domingo, 17 de julho de 2016

9 estratégias para minimizar a Polifarmácia em pacientes com Insuficiência Cardíaca

A Polifarmácia é uma grande preocupação em pacientes com Insuficiência Cardíaca, por isso, separamos nove estratégias para ajudar você a detectar medicamentos inadequados e potencialmente perigosos para seus pacientes.

1. Busque sempre conciliar as medicações abrangentes em todas as visitas clínicas e admissões. Pergunte aos pacientes sobre o tipo, dose e frequência de todos os seus medicamentos, inclusive os sem prescrição e alternativos, como homeopatia. Se possível, estes devem ser verificados com a farmácia.

2. Considere usar ferramentas de complexidade para identificar problemas dentro de um regime de medicação.

3. Pode ser vantajoso criar um registro com o fluxo de medicamento para atualizar em cada visita. Esse arquivo pode incluir quaisquer testes laboratoriais necessários para medicamentos específicos, como varfarina ou amiodarona. Pode ser útil fornecer aos pacientes uma cópia desta lista final e incentivá-los a guardar com eles em todos os momentos.

4. Avalie os potenciais riscos e benefícios de cada medicamento, antes de iniciar qualquer tratamento. Os medicamentos devem ser categorizados como essencial para os resultados desejados ou opcional, com o objetivo de reduzir ou eliminar os opcionais.

5. Suspenda medicações que não têm uma indicação ou são contraindicados.

6. Quando for possível e acessível, considere medicamentos combinados para reduzir o número de medicamentos tomados diariamente ou que podem ser usados para tratar menos de uma condição.

7. Evite prescrever novos medicamentos para tratar efeitos colaterais de outros medicamentos. A utilização de medicações deve ser limitada a apenas aqueles que são absolutamente necessários.

8. Oriente seus pacientes sobre os seguintes aspectos de medicamentos sem prescrição e alternativos: é importante comunicar-se com seu médico antes de tomar qualquer medicamento; evite o uso de medicamentos com eficácia e segurança incertos; e avalie o teor de sódio em todos os rótulos.

9. Explique ao seus pacientes a importância de notificar o médico sobre qualquer alteração ou adição de medicamentos à lista de medicamentos.

Referências: http://circ.ahajournals.org/content/circulationaha/early/2016/07/11/CIR.0000000000000426.full.pdf
Com informações de Vanessa Thees – Blog PebMed 

Nenhum comentário:

Postar um comentário