Parceria Farmacêutica Curiosa e UninCor Pouso Alegre - MG

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Tipos de cistos pancreáticos

O pâncreas é um importante órgão digestivo localizado na parte superior do abdômen


O pâncreas serve a duas funções principais: ele produz uma enzima que auxilia na digestão e secreta hormônios importantes, como insulina, que ajudam a controlar o metabolismo. Cistos no pâncreas não são incomuns. Os cistos mais comuns são chamados neoplasias císticas. Eles são sacos cheios de fluido. Como alguns cistos podem ser potencialmente cancerosos, é importante que se entendam seus riscos e seu tratamento.

Um artigo de revisão sobre doença cística pancreática foi publicado na edição de 03/05/2016 do JAMA.

Sinais e sintomas de cistos pancreáticos

A maioria dos pacientes com cistos pancreáticos não apresenta sintomas. Em geral, os cistos são encontrados durante exames de imagem (como uma tomografia computadorizada [TC] ou ressonância magnética [RM]) feitos por outros motivos. Na ocasião, um paciente pode sentir uma vaga dor abdominal e apresentar icterícia (amarelamento da pele) ou outros sintomas abdominais. Cistos que produzem uma substância parecida com muco denominada mucina podem obstruir ductos no pâncreas, podendo inflamar o pâncreas e causar pancreatite.

Tipos de cistos pancreáticos

Existem diversos tipos de cistos pancreáticos. Aqueles contendo mucina podem causar câncer. O tipo mais comum é denominado neoplasia mucinosa papilar intraductal (NMPI). Esses cistos fazem conexão com o ducto pancreático e seu fluido, em geral, contém uma grande quantidade de enzimas pancreáticas digestivas. Os cistos podem ocorrer em homens e mulheres, sendo mais comuns em pessoas com mais de 50 anos. 

A NMPI é ainda classificada em subtipos com base na presença e ausência de dilatação do ducto pancreático principal. Cistos que são pequenos, com tamanho estável e sem características preocupantes têm um baixo risco de sofrer uma transformação maligna e se tornar cânceres. 

Características preocupantes são definidas como um cisto maior que 3 cm, uma parede cística espessa ou que se destaca com o contraste durante a TC, tamanho do ducto pancreático principal medindo de 5 a 9 mm, um nódulo na parede do cisto que não se destaca com o contraste da TC ou uma mudança súbita no diâmetro do ducto pancreático principal. Quando existem cistos em pacientes com icterícia, alguma parte do cisto é sólido e se destaca com o contraste da TC, ou o ducto pancreático principal é maior que 10 mm, pode haver a presença de câncer.

Outro tipo de cisto mucinoso denominado neoplasia cística mucinosa. Menos comuns do que NMPIs, esses cistos têm uma aparência distinta quando vistos pelo patologista (um médico que estuda o desenvolvimento da doença). Neoplasias císticas mucinosas são encontradas, quase que exclusivamente, em mulheres de meia idade e, em geral, se localizam no corpo ou cauda do pâncreas. Esses cistos também têm o potencial para se tornarem cancerosos.

Um terceiro tipo de cisto é denominado neoplasia sólida pseudopapilar. Essas neoplasias raras possuem componentes sólidos e císticos. Neoplasias sólidas pseudopapilares também podem malignizar e são mais comumente encontradas em mulheres mais jovens.

Outro tipo de cisto é o cistadenoma seroso. Esses cistos não contêm muita mucina e o risco de malignização é pouco ou nenhum. Eles são mais comumente encontrados em mulheres com mais de 50 anos.

Em alguns casos, o adenocarcinoma ductal pancreático, o tipo mais comum de câncer pancreático, pode ter um aspecto cístico. Ocasionalmente, tumores pancreáticos neuroendócrinos, outro tipo de câncer pancreático, também podem ter um aspecto cístico e serem confundidos com um cisto benigno.

Com informações de Univadis

Nenhum comentário:

Postar um comentário