Parceria Farmacêutica Curiosa e UninCor Pouso Alegre - MG

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Fármaco utilizado na narcolepsia pode ajudar a reduzir impulso por alimentos

Um fármaco utilizado no tratamento de um distúrbio de sono pode também ser utilizado para reduzir o impulso por alimentos, sugere um estudo publicado na revista “Personality and Individual Differences”.

Existem vários fatores que podem contribuir para a obesidade. Vários estudos têm demonstrado que a obesidade não é apenas causada por um distúrbio comportamental, como a falta de autocontrole. Na verdade, muitos indivíduos com excesso de peso têm uma adição física pelos alimentos ricos em gordura e açúcar. 

Quando se ingere alimentos saborosos há a liberação de dopamina na zona do prazer/recompensa do cérebro. Contudo, os indivíduos com adição alimentar apresentam uma deficiência num determinado tipo de dopamina. Desta forma, a sensação de recompensa e prazer está diminuída tendo estes indivíduos que ingerir uma maior quantidade de alimentos para alcançar o mesmo nível de prazer comparativamente com as outras pessoas.

A comunidade científica também descobriu que o comportamento impulsivo é um fator que conduz à adição de alimentos. Neste estudo, os investigadores da Universidade de Warwick, e do Imperial College London, no Reino Unido, descobriram que um fármaco, denominado modafinil, utilizado habitualmente na narcolepsia, no distúrbio de trabalho por turnos e na sonolência diurna excessiva, pode reduzir a impulsividade e consequentemente a dependência alimentar. 

Ivo Vlaev, um dos autores do estudo, referiu que tem sido demonstrado que este fármaco reduz a impulsividade em vários distúrbios, tais como dependência de álcool, esquizofrenia e distúrbio de déficit de atenção e hiperatividade. 

Os indivíduos com adição alimentar também sofrem das mesmas condições neurobiológicas, por isso os investigadores acreditam que este fármaco também os ajude, tal como ficou comprovado nos testes iniciais por eles realizados.

O investigador acrescentou que estes achados podem ter implicações importantes para os indivíduos obesos. Na verdade, tem sido demonstrado que há um número substancial de obesos que são viciados em alimentos porque não têm a capacidade de controlar as suas ações impulsivas. Desta forma, este fármaco poderá fornecer mais autocontrole e ajudar os indivíduos com excesso de peso a perder peso e a melhorar consequentemente a sua saúde.  

Ivo Vlaev refere que as pessoas com adição alimentar sabem que necessitam de perde peso, mas o desejo de comer em excesso é esmagador, conduzindo a uma espiral de depressão que pode levar a problemas psicológicos, assim como a problemas de saúde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário