quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Gerente Farmaeconomia

O setor farmacêutico no Brasil vive um excelente momento, mesmo com uma conjuntura econômica um pouco desfavorável no país. Especialmente após a entrada dos genéricos no mercado, o campo ficou mais amplo e propício a absorver mais profissionais, pagando muito bem pelos seus serviços.

Com isso, a concorrência também aumentou e novas profissões foram criadas para responder a esse cenário. Uma das mais promissoras é a de gerente farmaeconomia. 

O que é farmacoeconomia?

Esse termo é relativamente novo e se refere, como o próprio nome diz, ao estudo da aplicação das questões econômicas em relação aos medicamentos, com o intuito de aprimorar a eficiência dos gastos no sistema de saúde.

Como os recursos, especialmente nas políticas públicas, são limitados, é essencial desenvolver métodos que ajudem nas tomadas de decisões, fazendo escolhas específicas entre uma série de medicamentos ou até de políticas e estratégias de intervenção.

No setor privado, a coisa não muda muito de figura: como o lucro é indispensável, a farmaeconomia garante mais precisão nas escolhas e melhor conhecimento de causa.

O que faz o gerente farmaeconomia?

O emprego como gerente farmaeconomia é um dos mais concorridos da área e ele tem uma função bem importante para o setor farmacêutico. Sua atuação principal é no estudo financeiro de medicamentos e intervenções de saúde, tornando mais eficaz qualquer coisa que diga respeito ao consumo, produção e distribuição de medicamentos.

Ele está apto a identificar, propor e determinar sobre a incorporação de tecnologias mais modernas na área, buscando a melhoria do acesso à saúde e gerenciamento mais efetivo de serviços farmacêuticos. Também atende às demandas do departamento de marketing e de farmacovigilância da indústria, fazendo uma avaliação estratégica para o registro de novos procedimentos, com o objetivo de demonstrar sua efetividade e precificação, sempre atendendo as regulações sanitárias.

Esse profissional também é primordial para a análise de custos dos tratamentos de determinados tipos de pacientes em relação a cada fármaco passível de utilização: ele ajuda a traçar estratégias melhores, como fazer a alternativa mais financeiramente viável, optando pelo medicamento “A” ou “B”, por exemplo. Ele analisa também os impactos sociais dos tratamentos e fornece respostas e soluções para seu contratante.

Qual é a formação do gerente farmaeconomia?

Geralmente, quem quer um empego de gerente de farmaeconomia é graduado como farmacêutico ou economista (ou, preferencialmente, os dois). No entanto, já existem cursos de extensão e pós-graduação específicos para a área, especialmente em razão do forte crescimento dos últimos anos. A área de saúde é uma das que apresenta melhores prognósticos de desenvolvimento num futuro próximo e, dependendo do cargo, o gerente farmaeconomia pode conquistar um salário que chega a 30 mil reais por mês.

Com informações de Hipolabor

Nenhum comentário:

Postar um comentário