Parceria Farmacêutica Curiosa e UninCor Pouso Alegre - MG

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Lente de contato para controle da miopia tem resultados encorajadores

Lente corretiva

Uma terapia inovadora usando lentes de contato especiais está obtendo resultados encorajadores nos primeiros testes para reduzir o ritmo de crescimento da miopia entre crianças.

Paul Chamberlain, da empresa CooperVision, apresentou os dados durante a reunião anual da Sociedade Norte-Americana de Optometria.

Chamberlain divulgou os resultados preliminares de dois anos de um ensaio clínico previsto para durar três. O ensaio envolve a avaliação de uma lente de contato gelatinosa bifocal especialmente projetada para reduzir a taxa de progressão da miopia juvenil.

Estão participando dos testes 144 crianças míopes de 8 a 12 anos de Cingapura, Canadá, Inglaterra e Portugal.

Controle da miopia

Os resultados indicam que o uso da lente de contato de foco duplo - que possui correção visual e zonas de tratamento alternadas - foi eficaz na desaceleração da progressão da miopia em 59%, conforme medido pelo equivalente ciclo-esplênico médio, e 53% conforme medido pelo alongamento axial médio do olho - tudo em comparação com as crianças no grupo de controle, também míopes, mas que usam uma lente de contato comum para o seu grau.

O pesquisador afirmou que a abordagem baseada em lentes de contato descartáveis - cada lente só é usada por um dia - não induz os efeitos secundários indesejáveis que são comuns em terapêuticas farmacológicas desenvolvidas com a mesma finalidade.

A lente bifocal foi bem aceita pelas crianças e não afetou suas atividades diárias, como trabalhos escolares, leitura, brincar fora de casa e usar o computador, sempre em comparação com o grupo de controle. As crianças nos grupos de teste e de controle indicaram uma maior satisfação com as lentes de contato do que com os óculos.

Os dados finais do ensaio clínico serão disponibilizados em 2017. A lente de contato para controle de miopia ainda não foi aprovada para uso pelas autoridades de saúde.

Com informações do Diário da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário