terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Chicória protege memória e pode atuar contra Alzheimer

Um componente da chicória, o ácido chicórico, ajuda a reduzir o comprometimento da memória associado à doença de Alzheimer - e, possivelmente, de outras doenças neurodegenerativas.

"O ácido chicórico também existe extensivamente na equinácea (Echinacea purpurea), alface, dente-de-leão e outras plantas e vegetais comestíveis," detalha o professor Xuebo Liu, da Universidade Noroeste A&F (China).

"O ácido chicórico mitigou a amiloidogênese induzida por lipopolisacarídeos e o debilitamento da memória através da inibição da via do sinal NFkB, sugerindo que a suplementação do ácido chicórico pode ser uma intervenção terapêutica plausível para doenças relacionadas a neuroinflamações, como a doença de Alzheimer," detalhou ele.

Proteção para a memória

Para chegar a essas conclusões, Liu e colegas usaram três grupos de camundongos: um grupo controle, um grupo que recebeu lipopolissacarídeos (LPS) para induzir problemas de memória e outro grupo que recebeu LPS e ácido chicórico (CA), para testar o efeito protetor do composto da chicória.

As capacidades de aprendizagem e de memória foram avaliadas utilizando dois testes comportamentais separados quatro horas após a injeção.

Os animais tratados com LPS demoraram mais tempo para encontrar a porta de fuga em comparação com o grupo de controle, mas a suplementação com ácido chicórico diminuiu significativamente o tempo de referência. Em seguida, foi realizado um teste mais extremo, sem uma passagem por onde os animais pudessem escapar andando - eles tinham que nadar. Novamente, os camundongos estimulados com LPS mais ácido chicórico superaram largamente os animais dos dois outros grupos.

"São resultados provocativos, mas com a ressalva de que o regime LPS provavelmente não é um modelo de debilitamento de memória de longo prazo," ponderou o professor Thoru Pederson, editor do The FASEB Journal, no qual a pesquisa foi publicada. "Mas a possibilidade permanece de que o ácido chicórico possa provar ser um nutracêutico humano benéfico para a acuidade geral da memória."

Com informações do Diário da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário