segunda-feira, 6 de março de 2017

Avaliação das Proteínas Totais e Frações

O exame solicitado rotineiramente na avaliação da bioquímica é o de "proteínas totais e frações". É traduzido como a avaliação geral das proteínas disponíveis no plasma sanguíneo. As 2 principais proteínas são a albumina e um conjunto de proteínas, as globulinas. O fibrinogênio é outra proteína do plasma e está relacionado com os distúrbios da coagulação.

A albumina é a principal proteína que ajuda na regulação da distribuição de líquidos entre os meios intracelular e extracelular, chamado pressão oncótica. Entretanto, essa proteína é importante em diversas outras funções, de transporte, principalmente.

As principais funções da albumina são: aperfeiçoar e manter a pressão oncótica; controlar o pH no corpo; transportar hormônios da tireoide; transportar a bilirrubina não conjugada; transporte de ácidos graxos livres e hormônios lipossolúveis.

O valor normal de albumina encontra-se entre 3,5 e 5. Quando ocorre a diminuição de albumina, todas estas funções estarão comprometidas, e a principal alteração comprometida é a perda do controle da pressão oncótica.

Tal alteração leva a acúmulo de líquido extracelular e edema de membros inferiores e de várias outras regiões. Também fica prejudicado o carreamento de anticorpos nesta situação, o que aumenta o risco de infecções e, caso ocorram, dificulta o tratamento.

Causas de Hipoalbuminemia

Desnutrição: É a principal causa de diminuição de albumina, relacionada ou não a outras infecções.

Insuficiência Hepática: Alterações hepáticas como cirrose (independente da causa) diminuem a produção de albumina levando a hipoalbuminemia.

Diarreias crônicas: Levam a perda de albumina intestinal.

Síndrome nefrótica: Leva a perda de proteínas na urina, sendo a albumina a principal.

As globulinas são proteínas não solúveis em água e divididas em classes: alfa-1-globulina, alfa-2-globulina, betaglobulina, gamaglobulina.

  • Gamaglobulinas: São as imunoglobulinas. Podem ser IgM, IgG, IgE, IgA. É a parte das proteínas que confere imunidade por meio dos anticorpos.
  • Betaglobulinas: São proteínas de fase aguda. Correspondem ao complemento C3 a transferrina (que transporta o ferro do intestino para o armazenamento nos tecidos) e a hemopexina (proteína carreadora do grupo heme).
  • Alfa-1-globulinas: representadas principalmente pela alfa-1-gligoproteína (utilizada como marcador de infecção aguda); alfa-1-antitripsina (responsável pela ação das enzimas lisossômicas); TBG (proteína carreadora dos hormônios da tireoide T3 e T4); RBP (proteína carreadora de vitamina A).
  • Alfa-2-globulinas: eritropoetina (proteína responsável pela produção de hemácias); ceruloplasmina (transporta cobre no corpo); macroglobulina (neutraliza enzimas proteolíticas).
A eletroforese de proteínas é um exame solicitado para avaliar as quantidades de cada uma das proteínas totais. Classicamente, é um exame muito útil de alguns diagnósticos, como no do mieloma múltiplo. Entretanto, qualquer desordem da linha proteica pode ser avaliada pela eletroforese.

Mas qual é a diferença entre pedir "proteínas totais e frações" ou "eletroforese de proteínas"? Simples: A eletroforese de proteínas quantifica cada uma das proteínas (gama, alfa, albumina, etc.), enquanto no exame de proteínas totais e frações a quantificação é de globulinas e proteínas, apenas.

Na eletroforese de proteínas, as maiores taxa são de albumina e globulina (que são desmembradas). Por isso, o exame mostra apenas as mais prevalentes, facilitando o entendimento.


Em algumas situações o gráfico apresenta mudanças, facilitando suspeitar de outras doenças.

Situações que cursam com alterações dos valores proteicos
(Condições: Doença)

Aumento de albumina: desidratação

Diminuição de albumina: desnutrição; hemorragias; queimados; enteropatias perdedoras de proteínas; síndrome nefrótica; gestação.

Diminuição de alfa-1-globulina: deficiência de alfa-1-antitripsina.

Aumento de alfa-1-globulina: insuficiência adrenal; uso de corticoides; DM; síndrome nefrótica.

Diminuição de alfa-2-globulina: desnutrição; anemia megaloblástica; enteropatias perdedoras de proteínas; Doença de Wilson; doenças severas do fígado.

Aumento de beta (especificamente beta-2-globulinas): cirrose biliar; Doença de Cushing; DM; hipotireoidismo; anemia por deficiência de ferro; icterícia obstrutiva; gestação no 3º trimestre.

Diminuição da beta (especificamente beta-2-globulinas): desnutrição proteica.

Aumento de gamaglobulina: amiloidose crônica; doenças granulomatosas; leucemia linfocítica crônica; cirrose; doença de Hodgkin; mieloma múltiplo; doenças do colágeno; macroglobulinemia de Waldenström.

Diminuição de gamaglobulina: agamaglobulinemia; hipogamaglobulinemia.


Fonte: Guia de Interpretação de Exames - Durval A. G. e Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário