quinta-feira, 23 de março de 2017

Dieta pobre em glúten pode aumentar risco de diabetes tipo 2

Um novo estudo conduzido por uma equipe de investigadores sugere que o seguimento de uma dieta com pouco glúten pode fazer aumentar o risco de diabetes de tipo 2.

As pessoas com doença celíaca, a qual se traduz numa intolerância ao glúten, normalmente seguem uma alimentação sem ou pobre em glúten. No entanto, há muitas pessoas que não são intolerantes ao glúten que decidem seguir uma dieta semelhante por acharem que esta traz benefícios para a saúde, sem saberem exatamente o que são.

O estudo conduzido pelo Departamento de Nutrição da Escola de Saúde Pública T.H. Chan, da Universidade de Harvard, Boston, EUA, demonstra que a realidade não é bem assim, que com efeito o consumo mais elevado de glúten pode proteger contra o risco de diabetes de tipo 2. 

“Queríamos determinar se o consumo de glúten afeta a saúde de pessoas sem razões médicas aparentes para evitarem o glúten. Os alimentos sem glúten contêm menos fibra e outros micronutrientes, o que os torna menos nutritivos e tendem também a ser mais caros”, explicou Geng Zong, um dos autores do estudo e investigador naquela instituição. 

Para o estudo, os investigadores analisaram o consumo de glúten em quase 200.000 participantes em três estudos de longa duração conhecidos como o Estudo de Saúde dos Enfermeiros (NHS, na sua sigla em inglês) I e II e o Estudo de Acompanhamento de Profissionais de Saúde (HPFS na sua sigla em inglês).

Os investigadores seguiram os participantes durante aproximadamente 30 anos. Os participantes nos estudos tinham respondido a questionários sobre os seus hábitos alimentares a cada dois a quatro anos. De forma geral. Os participantes consumiam menos de 12 gramas de glúten por dia: 5,8 gramas os do NHS I, 6,8 gramas os do NHS II e os participantes do HPFS consumiam 7,1 gramas.

Durante o período de monitorização foram diagnosticados 15.947 casos de diabetes de tipo 2. Foi apurado que os participantes que consumiam mais glúten apresentavam possibilidades de desenvolverem diabetes de tipo 2 durante os 30 anos de monitorização. Os participantes que consumiam menos glúten, também consumiam menos fibra oriunda de cereais. A fibra ajuda na proteção contra a diabetes de tipo 2. 

Após considerarem os efeitos protetores da fibra, os 20% dos participantes que consumiam mais glúten apresentavam menos 13% de probabilidade de desenvolverem diabetes de tipo 2, em comparação com quem consumia menos de quatro gramas de glúten por dia.

Perante os resultados, o coautor do estudo adiantou que “as pessoas sem doença celíaca devem reconsiderar a redução do seu consumo de glúten para a prevenção de doenças crônicas, especialmente a diabetes”.  

Este estudo apresenta limitações pois é de natureza observacional, o que significa que não consegue estabelecer uma relação de causa e efeito. Mais pesquisa é necessária pata confirmar os presentes achados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário