quarta-feira, 5 de abril de 2017

Opioides para dor crônica

Uma nova diretriz está disponível pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (Centers for Disease Control and Prevention) sobre a prescrição de opioides para dor crônica

Opioides são substâncias químicas naturais ou sintéticas que aliviam a dor ao se ligarem a receptores no cérebro ou no corpo para reduzir a intensidade dos sinais da dor que chegam ao cérebro. Os médicos prescrevem opioides como oxicodona, hidrocodona e morfina para tratar a dor aguda ou a dor crônica (dor que dura mais de 3 meses).

Embora os opioides possam reduzir a dor de curto prazo e possam aliviar a dor de modo eficaz para pacientes com câncer ativo, ou para outros pacientes em instituições de cuidados paliativos, não foram conduzidos estudos para determinar se os opioides controlam a dor crônica após alguns meses. 

Os opioides podem ter sérios riscos, e há evidências de que outros tratamentos possam ser eficazes com menos danos. Os opioides podem fazer com que as pessoas parem de respirar e morram, principalmente em altas dosagens ou quando combinados com álcool, medicamentos ou outras substâncias.

Transtornos por uso de opioides (vício) podem ocorrer quando um paciente tem dificuldade em controlar seu uso de opioides, o que resulta em problemas de saúde ou sociais significativos. Até 1 em cada 4 pacientes recebendo opioides para dor crônica desenvolve transtornos por uso de opioides. Há tratamentos eficazes para os transtornos por uso de opioides.

Capacitar médicos e pacientes para que tomem decisões bem esclarecidas pode ajudar a garantir que os opioides sejam usados apenas quando forem provavelmente eficazes e os danos puderem ser minimizados. Medicamentos não opioides e outros tratamentos como fisioterapia podem ajudar a controlar a dor e melhorar o funcionamento com menos riscos.

Recomendações para controle da dor de modo mais seguro e mais eficaz

Um artigo do JAMA foi publicado on-line em 15 de março de 2016, descrevendo uma nova diretriz de prescrição de opioides para dor crônica pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças. A diretriz fornece recomendações com base em ciências disponíveis para um tratamento mais seguro e mais eficaz da dor crônica para além dos cuidados de câncer ativo, cuidados paliativos e cuidados terminais.

As recomendações pedem aos profissionais de saúde que:

• Usem medicamentos não opioides e outras terapias, como fisioterapia, em vez de ou em combinação com opioides.

• Prescrevam a menor dose eficaz de opioides para reduzir os riscos de transtornos por uso de opioides e superdosagem.

• Conversem com os pacientes sobre os possíveis benefícios e danos dos opioides.

• Avaliem melhoras na dor e no funcionamento regularmente.

• Usem ferramentas como testes de drogas na urina e programas de monitoramento de prescrição de medicamentos para se manter informados sobre o uso de outros medicamentos pelos pacientes que aumentem o risco.

• Monitorem os pacientes quanto a sinais de que transtornos por uso de opioides possam estar se desenvolvendo e providenciem tratamento caso necessário.

O que você pode fazer

Se você tem dor crônica, certifique-se de:

• Considerar maneiras de controlar a sua dor que não incluam opioides, como fisioterapia, exercícios, medicamentos não opioides e terapia comportamental cognitiva.

• Tomar a decisão mais bem esclarecida possível com o seu médico.

• Nunca tomar opioides em quantidades maiores ou com mais frequência do que o prescrito.

• Evitar tomar opioides com álcool e outras substâncias ou medicamentos que não tenham sido discutidos com o seu médico.

Com informações de Univadis

Nenhum comentário:

Postar um comentário