Parceria Farmacêutica Curiosa e UninCor Pouso Alegre - MG

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Colonoscopia de acompanhamento faz reduzir a incidência de cancro do cólon

Os pacientes em risco de desenvolverem cancro do cólon podem beneficiar de forma significativa de uma colonoscopia de acompanhamento, atesta um estudo.

O estudo conduzido por uma equipa de investigadores do Imperial College London, Inglaterra, analisou a incidência de cancro do cólon e a eficácia das colonoscopias de acompanhamento na redução de casos da doença em pessoas consideradas como sendo de risco médio.

Os pacientes com um a dois adenomas grandes (com 1cm ou mais) ou três a quatro pequenos são classificadas como sendo de risco médio e é-lhes recomendado fazer uma colonoscopia três anos após a remoção dos adenomas. 

Para o estudo, os investigadores analisaram dados de mais de 250.000 pacientes e identificaram 12.000 pessoas diagnosticadas com adenomas de risco médio em 17 hospitais no Reino Unido. Estes pacientes foram monitorizados durante um período de oito anos e a incidência de cancro do cólon comparada nos pacientes que tinham sido submetidos a colonoscopia de acompanhamento e os que não tinham. 

A equipa identificou um grupo de risco médio com adenomas grandes (com 2cm ou mais), com patologia avançada nos adenomas ou pólipos na metade superior do intestino grosso que apresentavam um risco mais elevado de desenvolverem cancro do cólon. Este grupo de pacientes demonstrou ter beneficiado substancialmente com pelo menos uma colonoscopia de acompanhamento.

Por outro lado, os pacientes de risco médio que foram considerados como pertencendo a um subgrupo de menor risco, apresentaram uma menor possibilidade de desenvolverem cancro do cólon do que a população geral. Segundo os investigadores, neste último grupo de pacientes não serão necessárias colonoscopias de acompanhamento se a colonoscopia inicial tiver sido de elevada qualidade.

Wendy Atkin, autora principal do estudo, adiantou: “as colonoscopias acarretam um pequeno risco para os pacientes (…), com cerca de 20% das colonoscopias no Reino Unido efetuadas por motivos de monitorização. Assim é importante avaliar se todas as pessoas classificadas como estando em risco médio necessitam de fazer uma colonoscopia de acompanhamento”.

“A qualidade das colonoscopias melhorou nos últimos anos e é importante identificar as pessoas que beneficiariam de uma colonoscopia de acompanhamento”, continua a investigadora. “Este estudo demonstrou que existe um subgrupo que possivelmente não necessita de uma colonoscopia de acompanhamento”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário