segunda-feira, 5 de junho de 2017

Asma severa: novo medicamento pode reduzir uso de esteroides

Um ensaio clínico com um novo medicamento demonstrou resultados muito promissores em pacientes com casos de asma severa. 

Conduzido por uma equipe de investigadores liderada por Parameswaran Nair, docente de Medicina na Universidade McMaster, Hamilton, Canadá, o ensaio revelou que o tratamento com o anticorpo benralizumab, fez reduzir a possibilidade, em mais de quatro vezes, de os pacientes usarem corticosteroides orais do que os que receberam um placebo.

O ensaio ZONDA, que se encontra na fase III, contou com a participação de 220 pacientes de 12 países. Foi avaliado o efeito do tratamento com o anticorpo monoclonal benralizumab 30 mg sobre o recetor interleucina-5, durante 28 semanas em adultos com asma severa e que recebiam dosagens elevadas de corticosteroides e prednisona por inalação.  

Como resultado, os pacientes conseguiram reduzir a dose de prednisona em 75%, apresentaram 70% menos de crises de asma e 93% menos de idas às urgências ou hospitalizações, tendo mantido a função pulmonar.

“Os dados são muito impressionantes”, comentou o investigador principal deste estudo. “O benralizumab removeu quase completamente uns glóbulos brancos conhecidos como eosinófilos da circulação sanguínea e dos tecidos pulmonares. São necessários estudos mais longos com este fármaco para ficarmos com absoluta certeza da segurança desta estratégia de tratamento”.

“No entanto, os resultados são promissores e poderão oferecer aos médicos uma estratégia útil para tratar os pacientes com asma severa e evitar os terríveis efeitos adversos de longo termo dos corticosteroides”, acrescentou Parameswaran Nair.

O fármaco benralizumab não está ainda aprovado, encontrando-se atualmente em avaliação em vários países. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário