Parceria Farmacêutica Curiosa e UninCor Pouso Alegre - MG

Antroposofia

A Antroposofia e os Medicamentos Antroposóficos

A Antroposofia foi iniciada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner (1861 -1925) a partir do estudo da obra e do método científico de J. G. Goethe. Ela propõe um caminho de evolução cognitiva que une os aspectos materiais, anímicos e espirituais do ser humano, da natureza e do cosmo.

Com colaboração de muitos estudiosos, a Antroposofia foi introduzida em vários âmbitos de atuação humana, como na educação (pedagogia Waldorf), na agricultura (biodinâmica), nas artes (euritmia, arte da fala, etc.), na sociologia (trimembração social), economia, na religião (Comunidade de Cristãos) e na medicina e seus âmbitos correlatos, em que se destaca a farmácia antroposófica, ladeada por terapias corporais e cognitivas. Todos estes âmbitos têm evoluído intensamente desde o início do século XX.

A Farmácia Antroposófica tem evoluído muito proximamente à homeopatia, no Brasil e no mundo. Elas compartilham a utilização de medicamentos dinamizados (ou ultradiluições), além de vários outros aspectos técnicos.

Fundamentos da Farmácia Antroposófica

Faz parte do conhecimento fundamental da Antroposofia o fato do ser humano e a natureza terem tido uma evolução comum, existindo assim uma reconhecível identidade de processos entre o ser humano e os reinos da natureza.

Conhecendo-se assim as relações análogas existentes entre a natureza e o ser humano, pode-se reconhecer medicamentos capazes de estimular atividades básicas do organismo humano ou de certos órgãos.

A ação destes medicamentos não pode ser compreendida levando-se em conta apenas a composição química dos mesmos, eles são mais do que uma soma de substâncias ativas. O medicamento deve ser uma unidade orgânica resultante de processos que ocorrem na natureza, que são enfatizados em seus diferentes aspectos através de processos farmacêuticos adequados.

Medicamentos Antroposóficos

Os medicamentos antroposóficos são produzidos respeitando-se a natureza essencial e qualitativa das substâncias dos reinos vegetal, mineral e animal, preparados por processos farmacêuticos orientados pelos conceitos da Antroposofia, através dos quais se relacionam com os processos biológico, anímico e espiritual do homem trimembrado. Os medicamentos antroposóficos são, então, oriundos dos reinos mineral, vegetal e animal, e podem conter várias combinações dos mesmos.

As matérias-primas obtidas destes reinos, de modo a manterem ao máximo as suas características vitais originais, são transformadas em medicamentos por meio de processos farmacêuticos. Estes são escolhidos de acordo com a natureza das substâncias e com a finalidade terapêutica do medicamento a ser preparado.

A Farmácia Antroposófica utiliza procedimentos farmacotécnicos usuais, como os descritos em farmacopeias e tratados de farmacotécnica, como tais, ou com variações, e se utiliza também de processos farmacêuticos originais desenvolvidos a partir do conhecimento antroposófico da natureza e do homem.

Dentre estes processos destacam-se os extrativos, com gradações de aplicação de calor, luz e ritmos diversos, desde a maceração ou percolação a frio, passando pela digestão morna, pela fermentação, a infusão, até a decocção e destilação. As substâncias podem ainda ser tostadas, carbonizadas ou incineradas. Metais podem ser sublimados ou espelhados. E todas estas preparações podem ser dinamizadas, por meio da trituração em pós considerados inertes e da agitação ritmada em diversos excipientes líquidos.

Os medicamentos são apresentados nas mais diversas formas farmacêuticas, como: soluções injetáveis, tinturas-mãe, extratos, diluições, hidrolatos, xaropes, elixires, colírios, errinos, colutórios, soluções otológicas, triturações, granulados, glóbulos, comprimidos, cápsulas gelatinosas, pomadas, pastas, cremes, unguentos, loções, óleos, gliceróleos, emulsões, géis, óvulos, supositórios, entre outras.

Regulamentação da Farmácia Antroposófica

A atuação do farmacêutico no âmbito da farmácia antroposófica foi regulamentada por meio da resolução do Conselho Federal de Farmácia nº 465, de 4 de julho de 2007. Ela se dá na farmácia magistral, comunitária, na indústria, na educação e qualificação profissional, na fiscalização, na pesquisa e no desenvolvimento farmacêutico.

Para fins desta Resolução, entende-se por farmacêutico antroposófico o profissional graduado em ciências farmacêuticas e registrado no Conselho Regional de Farmácia de sua jurisdição, com formação teórico-prática em farmácia antroposófica, promovida ou reconhecida pela Associação Brasileira de Farmácia Antroposófica (Farmantropo), que o habilita nas áreas de pesquisa, desenvolvimento, produção, controle de qualidade, garantia de qualidade e questões regulatórias dos produtos farmacêuticos antroposóficos, assim como do aconselhamento, da dispensação e comercialização de medicamentos em farmácias.

Os medicamentos antroposóficos estão regulamentados na Resolução RDC nº 26, de 3 de abril de 2007 e nas Instruções Normativas 3, 4 e 5, de 11 de abril de 2007.

As técnicas peculiares utilizadas na farmácia antroposófica estão descritas no Código Farmacêutico Antroposófico (Anthroposophic Pharmaceutical Codex APC), publicado pela Associação Internacional de Farmacêuticos Antroposóficos (International Association of Anthroposophic Pharmacists - IAAP).

Medicamentos Antroposóficos – Para saber mais:

HUSEMANN, F.; WOLFF, O. A Imagem do Homem como Base da Arte Médica. Vol 1, 2 e 3. São Paulo: Editora Resenha Universitária, 1978. 1064 p

BOTT, V. Medicina Antroposófica, uma Ampliação da Arte de Curar. Vol. 1 e 2. 3ª ed., São Paulo: Associação Beneficente Tobias, 1991. 400 p

MORAES, W. A. Medicina Antroposófica: Um paradigma para o século XXI. São Paulo: Associação Brasileira de Medicina Antroposófica, 2005. 384 p

STEINER, R.; WEGMAN, I. Elementos Fundamentais para uma Ampliação da Arte de Curar. São Paulo: Editora Antroposófica, 2001. 104

GARDIN, N. e SCHLEIER, R. Medicamentos Antroposóficos -Vademécum. São Paulo: Editora João de Barro, 2009, 285 p.

Sites Interessantes (Antroposofia)

Associação Brasileira de Farmácia Antroposófica -FARMANTROPO: http://www.farmantropo.com.br
International Association of Anthroposophic Pharmacists — IAAP: http://www.iaap.org.uk
Sociedade Antroposófica no Brasil: http://www.sab.org.br
Sociedade Antroposófica Universal: http://www.goetheanum.org
Associação Brasileira de Medicina Antroposófica -ABMA: http://www.medicinaantroposofica.com.br
International Federation of Anthroposophic Medical Associations — IVAA : http://www.ivaa.info

Fonte: Cartilha Homeopatia do Conselho Regional de Farmácia do estado de São Paulo.